Topo

Delegada não descarta participação de Flordelis na morte do pastor Anderson Carmo

17.jun.2019 - A deputada federal Flordelis (PSD-RJ), de óculos escuros, durante o enterro do corpo de seu marido, o pastor Anderson do Carmo de Souza - Wilton Junior/Estadão Conteúdo
17.jun.2019 - A deputada federal Flordelis (PSD-RJ), de óculos escuros, durante o enterro do corpo de seu marido, o pastor Anderson do Carmo de Souza Imagem: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

Roberta Jansen

15/08/2019 14h21

O envolvimento da deputada federal Flordelis (PSD) no assassinato de seu marido, o pastor Anderson Carmo, não foi descartada. Segundo a delegada Bárbara Lomba, o assassinato teria sido motivado por razões financeiras e desavenças familiares sobre a gestão do patrimônio. Dois filhos do casal, Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas dos Santos de Souza, foram indiciados pelo crime na quarta-feira, 14.

"O crime foi cometido em ambiente familiar, há outros envolvidos (além de Flávio e Lucas) e uma motivação final", disse Bárbara Lomba na manhã desta quinta-feira, 15, na Delegacia de Homicídios de Niteroi e São Gonçalo. "O contexto todo da família está sendo investigado. A deputada faz parte da família."

A primeira fase do inquérito foi encerrada nesta quarta-feira, com o indiciamento de Flavio e Lucas. Os dois confessaram a participação no assassinato. A delegada explicou que o indiciamento foi baseado em uma arma encontrada no quarto de Flávio - que a perícia comprovou ter sido usada por ele. No caso de Lucas, além da confissão, outros depoimentos indicaram sua participação na compra da arma, que custou entre R$ 8 mil e R$ 9 mil.

Os dois foram transferidos na manhã desta quinta-feira, 15, da carceragem da delegacia para a unidade de triagem da Secretaria de Administração Penitenciária do estado, em Benfica. De lá, eles seguirão para a unidade prisional designada pelo órgão.

"Após o indiciamento dos dois, iniciamos uma segunda fase das investigações. Nela, todo o contexto familiar será investigado", disse a delegada.

Mais Cotidiano