Danos causados por tremor na Itália chegam a 4bi de euros

ROMA, 23 SET (ANSA) - Há quase um mês do terremoto que devastou a região central da Itália, os danos causados pelo tremor chegam a 4 bilhões de euros conforme uma estimativa apresentada nesta sexta-feira (23) pelas autoridades italianas.   

Em uma coletiva de imprensa com o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, com o comissário extraordinário do governo para a reconstrução, Vasco Errani, e com o chefe da Defesa Civil, Fabrizio Curcio, foi apresentada uma "agenda de trabalhos" para recuperar as cidades de Amatrice, Accumoli, Arquata e Pescara del Tronto.   

"O nosso país reconstruirá os territórios atingidos pelo terremoto como eles eram antes e ainda mais bonitos. O nosso objetivo para as primeiras casas e para os locais comerciais é deixar tudo como era antes", disse Renzi ao ser questionado sobre as linhas do projeto. A única diferença, segundo o premier, será "garantir que com um terremoto de 6 graus não haja mais desmoronamentos e nem riscos à vida".   

O líder da Defesa Civil informou que o cálculo de danos "não está abaixo dos 3 ou 4 bilhões de euros, uma cifra de orientação que sei que não será menor".   

"[O número] foi muito prudente porque, como mínimo, estipulamos os 4 bilhões de euros. Mas, será feita uma verificação ponto a ponto. O terremoto não atingiu locais apenas onde há vítimas, mas criou lesões importantes em outras áreas", acrescentou Curcio.   

Segundo dados oficiais da Defesa Civil, há ainda três mil pessoas sendo assistidas por entidades em vários pontos das províncias atingidas e, destas, 2,5 mil ainda estão em tendas.   

Já a reconstrução básica deve "demorar sete meses, no máximo".   

Errani, que cuida de toda a parte burocrática e de projetos da reconstrução, acrescentou que essa reconstrução será aprovada pelo Conselho de Ministros "não além dos dias 2 ou 3 de outubro". O comissário destacou que ele vai propor um "mecanismo claro de reconhecimento de danos do terremoto" e que diversos especialistas reconhecidos atuarão no projeto.   

"O percurso deste mês foi complicado, mas bem coordenado. O trabalho dos prefeitos e das regiões foi inspirado na colaboração que sempre deve ser distinguida e que levará os locais a serem construídos como antes", disse ainda Renzi sobre o trabalho em conjunto desenvolvido em várias esferas.   

O terremoto do dia 24 de agosto que atingiu as regiões de Lazio e de Marcas deixou 297 mortos nas cidades de Amatrice, Accumoli, Arquata e Pescara del Tronto. Porém, os danos estruturais atingiram toda a província de Rieti e também à região de Norcia.   

No entanto, apesar de ter passado quase um mês desde o sisma, os moradores da região ainda sofrem com centenas de réplicas - algumas acima dos 4 graus na escala Richter - que ainda provocam danos nos locais mais atingidos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos