Aliado de Fujimori é condenado por desaparecimentos

LIMA, 28 SET (ANSA) - O ex-chefe do Serviço de Inteligência Nacional peruano e ex-assessor presidencial durante o governo de Alberto Fujimori (1990-2000), Vladimiro Montesinos, foi sentenciado a 22 anos de prisão pelo desaparecimento forçado e incineração de três opositores ao regime em 1993.   

Montesinos já cumpre pena há mais de 15 anos por crimes contra a humanidade, entre outras atividades ilegais como ligações com o narcotraficante Pablo Escobar.   

Ativistas de direitos humanos, no entanto, consideram esta uma vitória judicial, pois é a primeira vez que a Justiça peruana reconhece que o governo Fujimori chegou a queimar os corpos de opositores.   

As vítimas foram identificadas como o professor Justiniano Najarro e os estudantes Martín Roca Casas e Kenneth Anzualdo.   

Seus corpos nunca foram encontrados.   

O local onde os corpos eram queimados ficava no porão do edifício militar onde Montesinos atuava como diretor do Serviço de Inteligência.   

Fujimori também está preso e cumpre uma pena de 25 anos por violações dos direitos humanos e corrupção no período em que esteve à frente do governo peruano. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos