Auxiliar de líder palestino diz que morte de Shimon Peres é uma "grande perda"

Em Tel Aviv

  • Nasser Nasser/ AP

    Em foto de 2015, Shimon Peres (dir.) e o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas (esq.) durante sessão de abertura do Fórum Econômico Mundial, na Jordânia

    Em foto de 2015, Shimon Peres (dir.) e o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas (esq.) durante sessão de abertura do Fórum Econômico Mundial, na Jordânia

Um auxiliar do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, lamentou nesta quarta-feira (28) a morte do ex-chefe de Estado de Israel Shimon Peres, após duas semanas internado por conta de um acidente vascular cerebral.

Segundo ele, o falecimento de Peres é uma "grande perda para a humanidade e para a paz" no Oriente Médio. Já o site da revista "a-Risala", ligada ao Hamas, grupo que comanda a faixa de Gaza, publicou um detalhado perfil do ex-presidente israelense, mas de caráter apenas informativo, sem opiniões. Até o momento, nenhum porta-voz da organização radical se pronunciou.

Vencedor do Nobel da Paz em 1994, ao lado do também israelense Yitzhak Rabin e do palestino Yasser Arafat, ambos mortos, Peres tinha 93 anos e enfrentava problemas de saúde havia tempos.

Seu funeral será realizado na manhã da próxima sexta-feira (30), em Jerusalém, e deve contar com a presença de alguns dos principais líderes do mundo, como o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e da França, François Hollande, da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, do príncipe Charles e do primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau. O casal Bill e Hillary Clinton também deve participar.

No entanto, o corpo começará a ser velado no Knesset, o Parlamento de Israel, a partir desta quinta-feira (29). A polícia de Jerusalém já está reforçando a segurança, prevendo uma grande multidão se deslocando ao Congresso para dar adeus ao ex-líder.

Também não faltaram mensagens de condolência pela morte do ex-chefe de Estado. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que teve a "sorte" de conversar diversas vezes com essa "pessoa extraordinária". "Em cada ocasião admirei sua coragem e patriotismo, a sabedoria e a capacidade de ir até o fim em questões complicadas", disse.

Já Obama declarou que Peres era a "essência de Israel" e elogiou seus esforços pela paz no Oriente Médio. "Uma luz se vai, mas a esperança que nos deu brilhará para sempre", acrescentou. Trajetória - Nascido em 1923, em Wiszniew, na Polônia, Peres e sua família imigraram para a então Palestina Britânica. Sua carreira política começou em 1941 e durou quase sete décadas, durante as quais foi duas vezes primeiro-ministro pelo Partido Trabalhista e ministro em inúmeros governos.

Em 1993, foi um dos responsáveis pelo Acordo de Paz de Oslo, pelo qual ganhou, junto com o então premier Yitzhak Rabin e o líder palestino Yasser Arafat, o prêmio Nobel da Paz em 1994. Presidente entre 2007 e 2014, Peres teve como um de seus últimos atos no cargo um encontro pela paz com o papa Francisco e Mahmoud Abbas no Vaticano. Chegou-se a divulgar que o Pontífice também iria para o funeral, mas o Vaticano negou, alegando que ele tem viagem marcada para a Georgia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos