'Anistia' denuncia uso de armas químicas em Darfur

ROMA, 29 SET (ANSA) - A ONG Anistia Internacional denunciou nesta quinta-feira (29) que mais de 200 pessoas, incluindo dezenas de crianças, foram mortas em Darfur, no Sudão, vítimas de ataques com armas químicas.   

A acusação é fruto de um inquérito de oito meses conduzido pela entidade, que alega que armamentos tóxicos foram usados pelo menos 30 vezes pelas forças sudanesas durante uma ofensiva em janeiro passado.   

A Anistia divulgou fotos, vídeos e testemunhos de sobreviventes para sustentar as denúncias. Além disso, a ONG acusa Cartum de promover "estupros e assassinatos em massa" em Darfur, região desértica situada no oeste do país e que é palco de conflitos há mais de uma década.   

Estima-se que desde 2003 os confrontos já deixaram mais de 300 mil mortos e 2,5 milhões de deslocados. O presidente do Sudão, Omar al Bashir, no poder desde 1989, é acusado de crimes de guerra e genocídio contra as tribos que vivem na região (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos