ELN liberta refém e permite negociações de acordo de paz

SÃO PAULO, 3 FEV (ANSA) - O Exército da Libertação Nacional (ELN), o segundo maior grupo guerrilheiro da Colômbia, cumpriu o último requisito do governo do presidente Juan Manuel Santos para que as negociações de um acordo de paz entre as partes pudessem começar ao libertar nesta quinta-feira, dia 2, o ex-congressista Odín Sánches Montes Oca.   

O homem, de 60 anos, estava no poder da guerrilha desde abril do ano passado, quando se entregou ao grupo em troca da liberdade do seu irmão, o ex-governador do departamento colombiano de Chocó Patrocínio Sánches, que havia sido sequestrado ainda em 2013 com a saúde já debilitada.   

Os dois irmãos eram considerados inimigos pelos guerrilheiros pela ligação que tinham com os militares que atuavam em Chocó e que mataram, ao longo dos anos, vários membros do grupo.   

Com a libertação de Odín, será possível dar início às negociações para a criação de um acordo de paz entre o Estado colombiano e o ELN. As reuniões com tal fim deverá começar a partir da próxima terça-feira, dia 7, em Quito, no Equador.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos