Em Roma, Trump e Gentiloni debatem imigração e terrorismo

ROMA, 24 MAI (ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentiloni, recebeu o presidente dos Estados Unidos, em Villa Taverna, nesta quarta-feira (24) para uma reunião bilateral. O encontro entre os dois líderes de governo é o segundo em cerca de um mês.   

A conversa contou com a presença de diversos membros do staff do mandatário e foi focada em temas que serão debatidos no próximo G7, que será realizado na cidade italiana de Taormina nos dias 26 e 27, e no combate ao terrorismo.   

Segundo fontes do governo italiano, a ideia é que os países se mostrem unidos na vontade e nas ideias para combater os grupos terroristas. Além disso, os líderes debateram os desafios provocados pela imigração em massa à União Europeia e da importância das mudanças climáticas para o futuro da humanidade.   

Na esfera comercial, os chefes de governo debateram a polêmica questão das trocas comerciais, que devem conciliar liberdade e reciprocidade - sem excesso de protecionismo.   

Os temas debatidos foram muito semelhantes aqueles conversados em 20 de abril, quando Trump e Gentiloni se reuniram em Washington e debateram a agenda internacional entre as duas nações. O mandatário ainda elogiou a atuação da Itália para tentar solucionar a crise na Líbia.   

Antes da reunião com o premier, Trump se reuniu com o presidente da Itália, Sergio Mattarella, no Palácio Quirinale em Roma. O conteúdo da conversa não foi informado de maneira oficial, mas o debate foi amplo por conta da quantidade de pessoas das delegações.   

Entre alguns dos expoentes do encontro, estavam o secretário de Estado, Rex Tillerson, o conselheiros para a Segurança Nacional, H.R. McMaster e o ministro das Relações Exteriores da Itália, Angelino Alfano.   

- Melania e Ivanka: Enquanto Trump se reunia com os líderes do governo italiano, sua esposa, Melania, visitou o hospital pediátrico Bambino Gesú, em Roma, que é mantido pelo Vaticano.   

Já a filha de Trump, Ivanka, também visitou uma instituição mantida pela Igreja Católica, o centro Sant'Egídio, que atende mulheres vítimas da violência e do tráfico de pessoas.   

"Papa Francisco é o seu apoiador e um grande advogado de suas histórias", disse a filha do mandatário no início de encontro.   

Como a "first daughter" se encontrou com mulheres vítimas de abusos que são protegidas por lei, a reunião foi a portas fechadas.   

"Foi um encontro muito intenso. Escutamos algumas histórias em que todos nós nos comovemos, também Ivanka. Ela escutava muito profundamente e quis também dividir com a gente as suas reflexões sobre soluções, também através das leis, para derrotar o tráfico de seres humanos ", disse Daniela Pompei, uma das responsáveis pelo local que estava na conversa.   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos