Plano de Trump para segurança deve manter Guantánamo aberta

  • Richard Perry/The New York Times

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve manter aberta a prisão de Guantánamo, na base militar do país em Cuba, segundo informam fontes oficiais ouvidas pelo portal norte-americano "Politico" nesta sexta-feira (26).

De acordo com a publicação, o republicano anunciará seu novo plano de segurança ao retornar ao país após sua passagem pelo Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, provavelmente, em seu "Discurso à Nação", no Congresso, na próxima terça-feira (30). 

Com isso, o mandatário cumprirá sua promessa de campanha, derrubando por terra o plano de seu antecessor, Barack Obama, de fechar a prisão. O portal informa que Trump assinará um decreto que descartará o fechamento do local, que abriga ainda 41 acusados por terrorismo internacional.

Guantánamo, uma prisão de segurança máxima, foi inaugurada em 2002 por ordem do então presidente George W. Bush, logo após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. No ápice, o local chegou a abrigar 800 prisioneiros de 44 nacionalidades diferentes.

O local recebeu inúmeras denúncias de violação de direitos humanos, como a prática de tortura e de abusos dos presos. Por conta das acusações das ONGs, a CIA chegou a fazer um levantamento sobre as práticas no local e confirmou que os agentes recorreram às técnicas de tortura durante os interrogatórios dos supostos extremistas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos