Líder da oposição no Quênia se autoproclama presidente

NAIRÓBI, 31 JAN (ANSA) - Acompanhado por milhares de seguidores, o líder da oposição no Quênia, Raila Odinga, se autoproclamou presidente do país nesta terça-feira (30), em um parque de Nairóbi, após não reconhecer a reeleição de Uhuru Kenyatta.   

Se apresentando como "presidente do povo", Odinga fez um juramento simbólico e desafiou o atual chefe de Estado do país.   

"Juro que serei fiel e leal ao povo e à República do Quênia, que preservarei, protegerei e defenderei a Constituição do Quênia", disse o opositor perante seus seguidores.   

Seu discurso, de acordo com o procurador-geral queniano, Githu Muigai, pode ser considerado um "crime de alta traição", punido com pena de morte. Durante o juramento de Odinga, as autoridades retiraram do ar redes de televisão e rádio, para que as pessoas não assistissem ao discurso.   

Além disso, algumas horas depois do juramento simbólico, o governo comentou que o partido do opositor é uma "organização criminosa".   

Eleições - As eleições de 2017 no Quênia foram marcadas por polêmicas. Após a primeira votação, em agosto, ter sido cancelada por irregularidades, Odinga não quis concorrer novamente e retirou sua candidatura. Com isso, Kenyatta venceu as eleições, em outubro, com 98% dos votos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos