PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Espanha proibirá enterro de Franco na Catedral de Almudena

28/12/2018 19h51

MADRI, 28 DEZ (ANSA) - O governo espanhol, liderado por Pedro Sánchez, usará um relatório divulgado nesta sexta-feira (28) para negar o pedido da família do ditador Francisco Franco de mudar seus restos mortas para uma cripta na Catedral de La Almudena, em Madri. O documento de 12 páginas faz um alerta ao governo para o perigo da transferência, principalmente porque há dificuldades em manter a ordem pública no local, além da possível existência de ameaças terroristas e confrontos entre apoiadores e contrários ao regime de Franco. Segundo o relatório publicado pelo "El País", a catedral não é apropriada porque é uma zona sagrada e, portanto, a polícia não pode entrar para combater qualquer tipo de violação. Este texto será usado pelo executivo para rejeitar o pedido dos familiares de Franco, que apontou o local para a colocação dos restos mortais depois da exumação do Vale dos Caídos.   

De acordo com Sanchez, a exumação não ocorrerá antes do final do ano. "Se esperamos 40 anos, esperar alguns meses não é um problema para o governo". O executivo, no entanto, ainda deve aguardar o pronunciamento da família de Franco por 10 dias, após o recebimento do documento que enumera as questões que impede a mudança. No último dia 17 de dezembro, a Justiça espanhola autorizou a exumação do general, que governou a Espanha entre 1938 e 1973, mas a ideia foi mal recebida pelo governo do premier. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional