PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: presidente das Filipinas ordena polícia a matar quem violar quarentena

Bullit Marquez/AP
Imagem: Bullit Marquez/AP

02/04/2020 09h37

Em mais uma medida controversa, o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, autorizou que policiais matem pessoas que estejam "causando problemas" nas áreas que estão em isolamento por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). O anúncio veio durante um pronunciamento televisivo divulgado na noite desta quarta-feira (1º).

"As minhas ordens são para policiais e aos militares, incluindo os funcionários nos vilarejos, que se há problemas ou se surgir situações em que pessoas briguem, e a sua vida está em perigo, disparem e matem", disse Duterte. Em um recado diretamente para os cidadãos, o mandatário foi claro: "ao invés de você causar problema, eu te mandarei para o túmulo". O anúncio foi feio no mesmo dia em que um protesto contra as medidas de restrição foi registrado na cidade de Quezon. No local, 21 pessoas foram detidas por violarem a quarentena.

Diariamente, o país registra prisões e punições pesadas para quem viola as regras, incluindo, o envio para a prisão dessas pessoas.

Cerca da metade dos 105 milhões de habitantes das Filipinas estão em isolamento obrigatório, incluindo os moradores da capital Manila. Apesar de anunciar a quarentena e fechar a Bolsa de Valores local, Duterte não anunciou nenhum tipo de ajuda financeira para as milhões de pessoas que vivem na faixa da pobreza, o que causa revolta entre os moradores.

Até esta quinta-feira (02), de acordo com o Centro John Hopkins, as Filipinas têm 2.633 casos confirmados da Covid-19 e 107 mortes confirmadas.

Coronavírus