PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Alexei Navalny recebe prêmio de direitos humanos da União Europeia

Alexei Navalny recebe prêmio de direitos humanos da União Europeia - Sefa Karacan / Agência Anadolu via Getty Images
Alexei Navalny recebe prêmio de direitos humanos da União Europeia Imagem: Sefa Karacan / Agência Anadolu via Getty Images

20/10/2021 10h39Atualizada em 20/10/2021 11h33

O Parlamento da União Europeia concedeu nesta quarta-feira (20) o Prêmio Sakharov, seu principal reconhecimento de direitos humanos, para o opositor russo Alexei Navalny, que está preso desde janeiro deste ano.

"Alexei Navalny é o vencedor desse ano do Prêmio Sakharov. Ele lutou incansavelmente contra a corrupção do regime de Vladimir Putin. Isso lhe custou a liberdade e quase sua vida. Hoje, o prêmio reconhece a sua imensa bravura e reiteramos o pedido para sua liberdade imediata", escreveu no Twitter o presidente do Parlamento UE, David Sassoli.

Antecipando o anúncio, o Grupo dos Partidos Populares Europeus (EPP Group), de centro-direita, postou em suas redes sociais o resultado e também pediu para que o presidente da Rússia "liberte Navalny". "A Europa pede por sua - e para todos os outros prisioneiros políticos - liberdade", postou.

Um dos principais aliados do opositor, Leonid Volkov, celebrou a premiação e agradeceu "a todos que o apoiaram".

Velho conhecido dos políticos europeus por ser um crítico ferrenho de Putin, o advogado voltou a chamar a atenção por conta de seu envenenamento com uma substância do grupo novichock, ocorrido em 20 de agosto do ano passado. Após o atendimento de emergência dado ainda em território russo, ele foi transferido para Berlim dois dias depois.

Na Alemanha, Navalny ficou em tratamento médico até janeiro deste ano, quando retornou a Moscou. Porém, antes de sair do avião, ele foi preso pelas autoridades e levado para uma colônia penal.

A detenção ocorreu porque o opositor russo não compareceu a uma audiência de última hora no dia 31 de dezembro. A convocação pelo serviço penitenciário foi vista tanto pela defesa de Navalny como pelos países ocidentais como um pretexto para prender em regime fechado o advogado - já que o governo sabia que ele ainda estava em território alemão em tratamento médico.

Navalny havia sido condenado em 2014 a três anos de prisão por um suposto desvio de 26 milhões de rublos de uma empresa cosmética francesa. No entanto, após um ano de detenção em regime fechado, ele pode sair da cadeia em pena suspensa. Só que, como não compareceu à audiência de dezembro, a pena foi convertida novamente em fechado.

Internacional