Inquérito revela que abusos de apresentador da BBC eram conhecidos, mas acobertados por 'cultura de medo'

  • BBC

    Acredita-se que Jimmy Savile começou seus abusos no meio da década de 1940 e continuou com comportamento até 2009

    Acredita-se que Jimmy Savile começou seus abusos no meio da década de 1940 e continuou com comportamento até 2009

A BBC cometeu graves falhas ao permitir que uma "cultura do medo" impedisse que um conhecido apresentador de rádio e TV da casa cometesse uma série de abusos sexuais por várias décadas sem ser impedido.

Essa foi uma das principais conclusões do aguardado inquérito conduzido pela ex-juíza britânica Janet Smith que investigou os casos de abusos cometidos por Jimmy Savile - e que só vieram à tona após a sua morte em 2011.

O relatório final, divulgado nesta quinta-feira, identificou 72 vítimas; oito delas foram estupradas pelo apresentador. O documento diz que funcionários da BBC sabiam de reclamações e alegações feitas por vítimas de Savile mas que relutavam em passá-las adiante a seus chefes por causa de uma "cultura de profunda deferência".

Savile foi DJ de uma das maiores estações de rádio da BBC e se tornou um dos mais conhecidos apresentadores da TV britânica entre os anos 60 e 90, graças a programas como Jim'll Fix It e Top of The Pops.

O relatório também revela que outro apresentador, Stuart Hall, abusou de 21 pessoas e que chefes da BBC na cidade de Manchester sabiam de sua conduta.

Hall foi preso em 2013 depois de admitir ter abusado sexualmente de 13 garotas.

Ao apresentar o relatório, Smith disse que Savile e Hall eram "predadores sexuais em série" e que a BBC perdeu cinco oportunidades de por um fim aos abusos cometidos pelos apresentadores.

O diretor-geral da BBC, Tony Hall, pediu desculpas às vítimas.

"A BBC falhou quando deveria ter protegido vocês. Um estuprador em série e um predador sexual se esconderam na BBC durante décadas", disse Hall.

"O que este episódio terrível nos ensina é que fama é poder, uma forma muito forte de poder e, como qualquer forma de poder, deve ter responsabilidades... e não teve", acrescentou.

O inquérito custou 6,5 milhões de libras (quase R$ 36 milhões) e o relatório final tem mil páginas.

'Comportamento monstruoso'

O inquérito independente da ex-juíza Janet Smith, que pertenceu à Suprema Corte britânica, foi encomendado pela BBC em 2012 para analisar a cultura e as práticas dentro da corporação durante os anos em que Savile foi funcionário da casa - entre 1964 e 2007.

Quando vieram à tona na imprensa britânica em 2012, as várias denúncias de fãs que teriam sido abusadas ou abusados pelo apresentador chocaram o país.

Smith disse que "estes dois homens usaram a fama e a posição que tinham, como celebridades da BBC, para abusar de pessoas vulneráveis. Eles devem ser condenados por este comportamento monstruoso", afirmou.

A maioria dos casos ocorreu na década de 1970, nos tempos em que Savile apresentou o programa de música Top of the Pops. A vítima mais jovem de Savile tinha apenas oito anos de idade.

Durante o tempo em que ele trabalhou na BBC foram feitas oito reclamações informais.

Dois chefes são criticados no relatório por "saberem" ou "provavelmente saberem" da conduta do outro apresentador, Stuart Hall, dentro das instalações da BBC.

Janet Smith afirmou que havia uma "cultura de separação, competição e até hostilidade entre diferentes partes da BBC, então os problemas que surgiam em uma parte não eram discutidos com outros".

"Os funcionários hesitavam em falar com seus chefes pois sentiam que não estavam em posição para fazer isso", disse.

A ex-juíza também acrescentou que as celebridades eram "virtualmente intocáveis".

Depoimentos

Savile explorava seu status de celebridade nacional para atacar centenas de pessoas - meninos e meninas, homens e mulheres, mas, principalmente, jovens mais vulneráveis.

Acredita-se que os abusos começaram no meio da década de 1940, quando Savile tinha pouco mais de 20 anos, e duraram até 2009.

O inquérito analisou dezenas de denúncias de agressão sexual e ouviu depoimentos de mais de 700 pessoas.

Dois chefes de Savile chegaram a questionar o apresentador sobre alegações de que ele teria levado para casa adolescentes que tinham participado da gravação do programa Top of the Pops.

O analista de mídia da BBC, David Sillito, disse que o principal objetivo do inquérito era estabelecer se chefes em postos mais altos da hierarquia da BBC sabiam dos crimes de Savile e o quanto das acusações eram infundadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos