Com 82,75% dos votos apurados, "não" segue vencendo referendo na Bolívia

La Paz, 23 fev (EFE).- O Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) da Bolívia informou nesta terça-feira que 52% dos eleitores disseram "não" à reforma da Constituição para permitir uma nova candidatura do presidente Evo Morales em 2019, segundo a apuração oficial, que já contabilizou 82,75% dos votos.

Por sua vez, o "sim" à reforma constitucional obteve até o momento 47,1% dos votos, segundo informou a presidente do TSE, Katia Uriona, em entrevista coletiva na cidade sulina de Sucre, a capital constitucional da Bolívia.

Uriona detalhou que até o momento foram processadas 24.128 de 29.224 atas.

A presidente do órgão eleitoral também ratificou que no próximo dia 6 de março se repetirá a votação em 24 mesas na cidade de Santa Cruz.

As pesquisas de boca de urna divulgadas ao término do referendo constitucional também apontavam a vitória do "não" com uma porcentagem que oscilava entre 51% e 52,3%, frente ao 47,7% e 49% do "sim", mas o governo falou de "empate técnico" e pediu que se aguarde a divulgação dos resultados oficiais.

Mais de 6,5 milhões de bolivianos estavam convocados a votar no referendo que perguntou à população se aceita ou rejeita reformar um artigo da Constituição para ampliar de dois a três os mandatos presidenciais consecutivos permitidos, o que permitiria que Morales se apresentasse às eleições de 2019 na busca de um quarto mandato até 2025.

Morales iniciou sua primeira gestão em 2006, a segunda em 2010 e a terceira em 2015.

Embora a Constituição permita somente dois mandatos consecutivos, o governante pôde apresentar-se ao pleito de 2014 graças a uma decisão do Tribunal Constitucional que considerou que seu primeiro mandato (2006-2010) não conta porque o país foi refundado como Estado Plurinacional em 2009.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos