Parlamento grego aprova reforma previdenciária criticada por sindicatos

Em Atenas

  • Ian Langsdon/AP

    O premiê grego, Alexis Tsipras, participa de encontra com líderes social-democratas da União Europeia

    O premiê grego, Alexis Tsipras, participa de encontra com líderes social-democratas da União Europeia

O parlamento da Grécia aprovou neste domingo (8) as reformas previdenciária e fiscal defendidas pelo governo para cumprir com os compromissos firmados com os credores internacionais, mas criticada por sindicatos, que protestaram nas ruas do país contra as mudanças propostas pelo Executivo.

A lei contempla as reformas da previdência e dos impostos diretos e indiretos. Com a medida, o governo quer economizar 5,4 bilhões de euros por ano para conseguir, em 2018, um superávit primário de 3,5% do PIB (Produto Interno Bruto), como prevê o programa do terceiro resgate financeiro firmado com os credores.

O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, ressaltou que o sistema de aposentadorias será "sustentável" com a reforma, sem realizar corte nos principais valores pagos à população.

Além disso, Tsipras prometeu que para mais de 2 milhões de aposentados não haverá corte "de um euro sequer na aposentadoria".

Ao longo de todo o domingo, vários protestos foram realizados na capital do país contra a reforma. Na parte da tarde, cinco pessoas foram presas em uma manifestação em frente ao parlamento após confronto com a polícia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos