Fortes chuvas já causaram 84 mortes na China

Pequim, 23 jul (EFE).- As fortes chuvas que atingiram nesta semana o norte e centro da China causaram 84 mortes e deixaram o mesmo número de desaparecidos, entre eles diversas crianças, enquanto a população realiza protestos pressionando o governo por uma resposta diante das inundações.

A área mais afetada pela tempestade é a província de Hebei, que fica próxima de Pequim, onde se registraram até o momento 72 mortes e o desaparecimento de 78 pessoas, segundo os últimos dados divulgados neste sábado pelas autoridades locais.

Esta é a região onde vem acontecendo diversos protestos dos moradores que se queixam da atitude do governo, que supostamente não ativou o alerta com antecedência e, em alguns casos, como na cidade de Xingtai, chegou em negar a existência de vítimas.

Nesta cidade de 500 mil habitantes e que fica cerca de 400 quilômetros ao sul de Pequim, aconteceu um confronto entre os cidadãos e as forças de segurança, quando os manifestantes bloquearam uma avenida principal como protesto, informa o jornal "South China Morning Post".

Em vídeos publicados na internet, se pode ver centenas de policiais tentando dispersar a multidão, claramente irritada.

As mobilizações ocorrem quando começam ser divulgados novos dados de outras pequenas localidades atingidas pelo temporal nesta província, como Daxian, onde várias crianças estão na lista de mortos ou desaparecidos.

Como todos os anos durante a época de chuvas, que começa em maio, os números são bastante confusos.

Por enquanto, as autoridades confirmam que na província de Hebei foram retiradas cerca de 300 mil pessoas, que se somam as mais de 100 mil que já foram levadas esta semana de outra província afetada, Henan, no centro do país.

Nesta região aconteceram 12 mortes e seis pessoas seguem desaparecidas.

As interrupções nos serviços de comunicação, eletricidade e a paralisação de serviços aéreos ou ferroviários foram comuns esta semana nestas regiões, e também em Pequim e Tianjin, onde, por enquanto, não há registro de vítimas.

A capital, que hoje amanheceu novamente envolvida em uma acinzentada camada de poluição, mas sem chuvas, sofreu graves inundações que levaram ao cancelamento de 237 voos, 60 trens e 14 rotas de ônibus público.

Na vizinha Tianjin, principal porto da China setentrional, foram cancelados 189 voos, embora as chuvas estejam dando uma trégua na região.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos