Destruída pelo EI, principal usina elétrica de Qayyarah volta a operar

  • Bulent Kilic/ AFP

    Membro da força de segurança do Iraque observa fumaça na região de Qayyarah, cerca de 60 km a sul de Mosul

    Membro da força de segurança do Iraque observa fumaça na região de Qayyarah, cerca de 60 km a sul de Mosul

A região iraquiana de Qayyarah voltou neste domingo a ver funcionar sua principal usina elétrica, dois anos depois de ser atacada pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), informou à Agência Efe o governador da comarca, Saleh Hasan.

Conforme explicou, a equipe técnica ativou a primeira unidade da usina elétrica de gás, de 60 megawatts, e que é composta por seis unidades. Outra está pronta para voltar a funcionar, mas falta o bombeamento do gás, enquanto as outras quatro ainda estão sendo reparadas. A capacidade total de produção de todas as unidades desta usina, chamada Estação de Ninawa, é de 750 megawatts. Com a energia desta primeira unidade, destinada ao norte da região, a intenção é retomar os serviços de água e de águas residuais em hospitais e áreas residenciais.

Segundo ele, o EI danificou cabines de controle e várias turbinas, além de detonar e queimar os nove depósitos de combustível dessas unidades. A capacidade destes depósitos destruídos variava entre 1 milhão e 14 milhões de litros. Para compensar parte destas perdas, o Ministério de Eletricidade levou à região dois depósitos de combustível, com uma capacidade de 500 mil litros cada um.

Em 25 de agosto, o Exército do Iraque recuperou o controle da estratégica cidade de Qayyarah, onde os extremistas incendiaram as jazidas de petróleo para impedir com a fumaça os bombardeios da aviação, e para dificultar o avanço das tropas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos