Presidente da Eurocâmara lamenta ativação do Brexit por parte do Reino Unido

Bruxelas, 29 mar (EFE).- O presidente do Parlamento Europeu, o italiano Antonio Tajani, disse nesta quarta-feira que "hoje não é um bom dia" e que a União Europeia (UE) começa "um novo capítulo" com a ativação do artigo 50 do Tratado de Lisboa por parte do Reino Unido, que inicia o processo de negociações para a saída deste país do bloco, sobre o qual a Eurocâmara terá voz e voto.

"O Brexit (saída do Reino Unido da UE) marca um novo capítulo na história da UE. Mas estamos preparados. Seguiremos adiante e confiamos que o Reino Unido continuará sendo um aliado próximo", disse Tajani no Twitter.

O vice-presidente do Parlamento Europeu, o espanhol Ramón Luis Valcárcel, afirmou que "a União Europeia é a melhor solução" para maioria dos problemas enfrentados pelos países do continente.

Já o líder dos social-democratas na Eurocâmara, o também italiano Gianni Pittella, teve uma reação mais focada na negociação que se aproxima ao afirmar que, "quando alguém sai de sua casa, tem que pagar a conta".

"Vamos ver o que o Reino Unido terá que pagar agora", acrescentou o político italiano.

Syed Kamall, líder dos 'tories' britânicos que integram o bloco dos Conservadores e Reformistas Europeus, a terceira força política da Eurocâmara, afirmou que "agora cabe garantir tanto o futuro da UE como o do Reino Unido".

"Espero que todas as partes envolvidas encarem com calma as negociações, de forma construtiva, e com espírito de cooperação". "Não se trata de ganhadores e perdedores", acrescentou Kamall em comunicado.

A reação mais festiva ficou por conta dos eurodeputados do Partido da Independência do Reino Unido (UKIP, sigla em inglês) na Eurocâmara, que celebraram com um bolo, com velas com o número 50, em alusão à ativação do artigo do Tratado de Lisboa que abre o caminho para a saída do país da União Europeia.

A UE recebeu hoje às 13h20 locais (8h20 de Brasília) a carta de Londres que inicia o processo de saída do Reino Unido do bloco europeu, anunciou o presidente do Conselho, Donald Tusk, através de sua conta no Twitter.

A carta foi entregue enquanto a primeira-ministra britânica, Theresa May, se dirigia ao parlamento de Londres para informar aos deputados sobre a notificação à UE da vontade de seu país de sair do bloco.

O Reino Unido ficará fora da UE no prazo de dois anos, exceto se os outros 27 países decidirem, de maneira unânime, continuar com as conversas, ou se o Reino Unido voltar atrás nesse período de 24 meses.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos