OEA convoca reunião de chanceleres para abordar crise da Venezuela

Washington, 26 abr (EFE).- A Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou nesta quarta-feira a convocação de uma reunião de chanceleres para abordar a crise política da Venezuela com 19 votos a favor, 10 contra, quatro abstenções e uma ausência.

Além do Brasil, votaram a favor Guiana, Bahamas, Santa Lúcia, Argentina, Barbados, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Estados Unidos, Honduras, Guatemala, Jamaica, México, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai.

Não se especificou, por enquanto, nem quando nem onde acontecerá esse encontro de chanceleres, já que o único aprovado foi sua convocação.

A Venezuela ameaçou deixar a OEA se essa reunião de chanceleres fosse convocada, algo para o que necessitaria esperar dois anos e pagar o dinheiro que deve ao órgão, cerca de US$ 8,7 milhões, segundo o estipula o artigo 143 da Carta da OEA, o documento fundacional de 1948.

O embaixador da Venezuela na OEA, Samuel Moncada, criticou a convocação aprovada hoje e, durante a sessão, antes da votação, lembrou a ameaça lançada ontem pela chanceler, Delcy Rodríguez, de que deixarão a organização se essa sessão de chanceleres realmente acontecer.

Os 10 países que votaram contra a convocação foram Venezuela, Antígua e Barbuda, Bolívia, Dominica, Equador, Haiti, Nicarágua, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas e Suriname.

Por fim, Belize, El Salvador, República Dominicana e Trinidade e Tobago se abstiveram, enquanto Granada se ausentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos