Seul condena lançamento de Pyongyang e pede fim das provocações

Em Seul

  • KCNA/Reuters

    O ditador norte-coreano, Kim Jong-un, observa teste de um novo tipo de defesa antiaérea no domingo (28), em foto divulgada pela agência estatal de notícias

    O ditador norte-coreano, Kim Jong-un, observa teste de um novo tipo de defesa antiaérea no domingo (28), em foto divulgada pela agência estatal de notícias

O governo da Coreia do Sul condenou nesta segunda-feira (29) o último teste de mísseis realizados pela Coreia do Norte e pediu ao regime de Kim Jong-un para "parar com toda provocação de imediato" e optar o mais rápido possível pela desnuclearização.

"O último teste de armas de Pyongyang constitui uma clara violação das resoluções do Conselho de Segurança da ONU e representa uma séria ameaça não só para a península coreana, mas também para a paz e segurança global", diz o breve comunicado divulgado pela Chancelaria sul-coreana.

O exército norte-coreano disparou no domingo (28) um míssil, aparentemente de curto alcance, a partir da localidade de Wonsan, no sudeste do país.

O projétil percorreu 450 quilômetros para leste até cair em águas da Zona Econômica Especial do Japão (espaço que se estende a cerca de 370 quilômetros desde seu litoral), segundo o governo japonês.

"O governo (sul-coreano) não tolerará nenhum tipo de provocação e responderá com severidade", conclui o comunicado.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos