Kenyatta faz pedido por paz após ser reeleito presidente do Quênia

Nairóbi, 30 out (EFE).- O presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, fez nesta segunda-feira um pedido pela manutenção da paz no país após a confirmação de sua reeleição no pleito realizado na última quinta-feira, boicotado pela oposição.

Em discurso realizado hoje, o presidente pediu que os cidadãos se lembrem que "seus vizinhos continuarão sendo vizinhos apesar dos resultados das eleições".

Além disso, Kenyatta disse aos seus eleitores que o pleito ainda não terminou. O presidente considera muito provável que a vitória seja "submetida a um exame constitucional através dos tribunais".

As declarações eram uma referência à possibilidade de a oposição tentar impugnar os resultados do pleito na Justiça.

"Demonstrei repetidamente que me submeterei à lei e à vontade geral. Meu compromisso pessoal é com o constitucionalismo, com o Estado de direito, com o respeito à independência das instituições e com a vida humana", disse Kenyatta.

Sobre o adversário nas eleições, Raila Odinga, Kenyatta indicou que tentará um diálogo após o fim do processo eleitoral. No entanto, criticou a decisão do rival de boicotar o pleito.

"O Tribunal Supremo validou seu recurso e ele decidiu ignorar o resto da sentença. Não é possível escolher exercer seus direitos e depois se queixar das consequências dessa escolha", avaliou.

Apesar da baixa participação registrada, o presidente afirmou que o resultado das eleições é uma constatação da vontade do povo e destacou que 90% dos que já tinham votado nele em agosto repetiram a escolha na última quinta-feira.

Pouco depois da confirmação da vitória, os eleitores de Kenyatta lotaram as ruas de várias cidades do Quênia para comemorar que o presidente ficará no cargo por mais cinco anos.

Depois da anulação judicial das eleições realizadas em 8 de agosto deste ano, Kenyatta recebeu 98,26% na repetição organizada na última quinta-feira. A oposição boicotou o pleito por considerar que não havia as medidas necessárias para evitar que as irregularidades já ocorridas voltassem a acontecer.

O boicote do principal partido de oposição, a Super Aliança Nacional, fez com que a participação caísse de 79,5% em agosto para 38,9% na repetição do pleito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos