PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Partido de Leopoldo López não participará de eleições municipais na Venezuela

30/10/2017 16h02

Caracas, 30 out (EFE).- O Vontade Popular (VP), partido fundado pelo opositor venezuelano que cumpre prisão domiciliar Leopoldo López, não participará das eleições municipais que serão realizadas em dezembro como uma forma de protesto contra o sistema eleitoral da Venezuela, o qual considera fraudulento.

"Não seremos cúmplices de uma nova fraude contra o nosso povo, e responsavelmente pedimos aos demais partidos que não participem de maneira alguma das eleições para não validar uma fraude anunciada", disse nesta segunda-feira o coordenador nacional do partido, o deputado Freddy Guevara.

Guevara ressaltou que nenhum militante de VP poderá se candidatar e pediu aos partidos que integram a aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) para terem a mesma postura em relação às eleições municipais, cuja data de realização ainda não foi anunciada pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE).

O dirigente opositor reiterou sua denúncia de que os últimos resultados eleitorais, - a votação de 15 de outubro na qual o chavismo obteve o governo de 18 dos 23 estados do país - constituem uma "fraude comprovada", por isso insistiu na necessidade de "lutar" para mudar as condições eleitorais.

Neste sentido, o VP disse que não reconhecerá outro governador no estado de Zulia que não seja Juan Pablo Guanipa, eleito na recente disputa, mas que foi "destituído" por não prestar juramento perante a Assembleia Nacional Constituinte (ANC), um órgão apontado com fraudulento.

O partido se assumiu como "corresponsável pelos erros cometidos na MUD", que hoje tem uma profunda divisão, e fez votos para que se consolide uma nova aliança antichavista para "sair da ditadura", que não reconheça a ANC e trabalhe para "garantir a pressão internacional e as sanções contra a ditadura".

Internacional