PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Coreia do Norte publica ampla galeria de fotografias de seu último míssil

30/11/2017 06h20

Seul, 30 nov (EFE).- Veículos de imprensa da Coreia do Norte publicaram, nesta quinta-feira, uma galeria de fotografias do seu novo míssil balístico intercontinental (ICBM), o Hwasong-15, lançado na madrugada de ontem com a supervisão do líder norte-coreano, Kim Jong-un.

As 42 imagens mostram a preparação para o lançamento e o projétil em ascensão, assim como um sorridente Kim que observa todo o processo ao ar livre e a partir de um posto de controle.

O líder norte-coreano estava "muito animado" e "satisfeito" pelo desenvolvimento do novo míssil e "felicitou calorosamente" os cientistas, técnicos e demais trabalhadores imersos no processo, afirmou o jornal "Rodong".

As fotos mostram um míssil de ponta mais arredondado e dimensões maiores em comparação ao ICBM lançado anteriormente por Pyongyang, o Hwasong-14.

O Estado Maior Conjunto sul-coreano (JCS) apoia esta tese se baseando em "claras diferenças, como a forma da carga útil (a ponta) ou a montagem entre as duas fases do míssil", explicou à Agência Efe, um porta-voz do Ministério da Defesa.

De acordo com os analistas, a diferença de tamanho e configuração, aparentemente corresponde ao fato de que a segunda fase do míssil tem mais motores (dois em vez de um) e mais propulsores auxiliares, o que lhe conferiria maior estabilidade e alcance.

O novo projeto da ponta poderia responder ao desenvolvimento de um veículo de reentrada capaz de transportar mais de uma ogiva nuclear.

A Coreia do Norte anunciou no dia anterior que o míssil pode levar uma grande ogiva nuclear e alcançar todo território dos Estados Unidos, e disse que voou 950 km e alcançou um apogeu de 4.475 km antes de cair no Mar do Japão.

Embora acredita-se que tenha feito um voo menos parabólico - foi lançado em um ângulo muito aberto - poderia ter viajado mais de 13 mil km, os analistas duvidam que o Hwasong-15 alcance essa distância se uma arma nuclear estiver equipada ou que sobreviva a reentrada atmosférica sem se desintegrar..

É o que estabelece uma análise publicada hoje pelo site especializado "38 North", advertindo, no entanto, que os progressos do Hwasong-15 referendam a tese já existente: Pyongyang tem cerca de um ano para ter um ICMB viável para atacar a costa oeste dos Estados Unidos.

Internacional