PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Diretora de Comunicações de Trump deixará cargo nas próximas semanas

28/02/2018 20h39

Washington, 28 fev (EFE).- Hope Hicks, a diretora de Comunicações da Casa Branca e ex-assessora do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, renunciou e deixará seu cargo "nas próximas semanas", confirmou nesta quarta-feira a porta-voz do governo americano, Sarah Sanders.

Hicks, que se uniu à campanha presidencial de Trump em 2016 sem nenhuma experiência prévia na política, foi uma das pessoas que mais tempo permaneceu na equipe próxima do magnata desde que começou sua corrida para a Casa Branca.

"Hope é extraordinária e fez um grande trabalho durante os últimos três anos. É muito inteligente e ponderada, assim como uma grande pessoa. Sentirei falta de tê-la ao meu lado, mas, quando me consultou para buscar outras oportunidades, entendi totalmente", disse o presidente Trump em comunicado divulgado pela Casa Branca.

"Tenho certeza que trabalharemos juntos de novo no futuro", acrescentou o governante.

Por sua parte, a própria Hicks afirmou que "não há palavras" para expressar adequadamente sua gratidão ao presidente, e desejou "o melhor" ao presidente e ao seu governo.

O chefe de gabinete da Casa Branca, John Kelly, também teve palavras de agradecimento para a jovem Hicks, de 29 anos.

"Quando me tornei chefe de gabinete, rapidamente me dei conta do que muitos aprenderam sobre Hope: é estratégica, equilibrada e sábia, apesar da sua idade. Transformou-se em assessora e conselheira de confiança e fez um tremendo trabalho supervisionando as comunicações para a agenda do presidente, incluindo a aprovação de uma reforma tributária histórica", lembrou Kelly.

Hicks, que anteriormente havia trabalhado como modelo, começou trabalhando para Trump como ajudante de imprensa, até ser anunciada formalmente como diretora de comunicações da Casa Branca no ano passado.

A notícia da sua renúncia é divulgada um dia depois de a conselheira do presidente testemunhar durante cerca de oito horas perante o Comitê de Inteligência da Câmara de Representantes no marco das investigações sobre a possível coordenação da campanha de Trump com o governo russo para influenciar nas eleições de 2016.

No entanto, segundo indica o jornal "The New York Times", citando diversas fontes próximas de Hicks, a renúncia não está relacionada com a investigação e seu testemunho, pois a jovem estava considerando suas opções de saída há vários meses.

Segundo o jornal, Hicks comunicou a seus colegas que tinha atingido seus objetivos com um trabalho que a transformou em uma das pessoas mais poderosas de Washington, e que nunca haveria um momento perfeito para sair.

Hicks foi a quarta pessoa a ocupar o cargo de diretora de Comunicações da Casa Branca durante o curto mandato de Trump, depois de Mike Dubke, Sean Spicer e Anthony Scaramucci.

Internacional