PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Líderes democratas pedem que Senado rejeite indicação de Kavanaugh

O presidente dos EUA, Donald Trump e seu indicado, o juiz conservador Brett Kavanaugh - Leah Millis/Reuters
O presidente dos EUA, Donald Trump e seu indicado, o juiz conservador Brett Kavanaugh Imagem: Leah Millis/Reuters

Em Washington

10/07/2018 02h19

Uma maioria de senadores democratas rejeitaram nesta segunda-feira (9) a indicação por parte do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, do juiz conservador Brett Kavanaugh para a Suprema Corte, embora os mais moderados não tenham fechado a porta para apoiá-lo.

Kavanaugh precisa agora da confirmação por maioria absoluta do Senado, que os republicanos dominam por 51 a 49. Por isso, um eventual apoio de legisladores democratas garantiria sua ida para o Tribunal Supremo.

O líder dos democratas na Câmara Alta, Chuck Schumer, fez um apelo aos senadores de ambos os partidos pela rejeição a Kavanaugh, visando proteger os direitos reprodutivos das mulheres, em relação ao temor que uma nova maioria conservadora proíba o aborto.

"Vou me opor à indicação do juiz Kavanaugh, e espero que uma maioria bipartidária faça o mesmo. O que está em jogo é simplesmente demais", afirmou Schumer em comunicado.

O seu número dois, o senador Dick Durbin, considerou que a potencial chegada de Kavanaugh ao Supremo o transformaria em um tribunal de "extrema-direita", com o subsequente risco de que "os piores impulsos da Presidência de Trump não tenham controle".

Apesar da rejeição a Kavanaugh, os democratas considerados moderados não fecharam a porta para votar em favor do magistrado de Trump, ao concluir o processo de confirmação como, de fato, já fizeram no ano passado com Neil Gorsuch.

Trump nomeou hoje Kavanaugh para cobrir a vaga do Supremo, aberta após o anúncio de aposentadoria do magistrado mais centrista do tribunal, o também conservador Anthony Kennedy.

Internacional