PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Hackers roubam dados de desertores norte-coreanos que vivem na Coreia do Sul

28/12/2018 14h48

Seul, 28 dez (EFE).- As informações pessoais de aproximadamente mil desertores norte-coreanos que vivem na Coreia do Sul foram roubadas de um computador de um centro de acolhimento que foi alvo de um ataque cibernético, informaram nesta sexta-feira fontes oficiais em Seul.

A invasão cibernética ocorreu em um computador de um centro oficial de acolhimento na província de Gyeongsang do Norte e foi detectado pelas autoridades em 17 de dezembro, mas, aparentemente, o ataque aconteceu em novembro, informou o Ministério de Unificação da Coreia do Sul.

As informações roubadas correspondiam a 997 pessoas e incluíam os nomes, datas de nascimento e endereços dos desertores norte-coreanos, afirmou a agência local "Yonhap".

"No computador havia um arquivo com as informações pessoais dos desertores norte-coreanos e se confirmou que esse arquivo foi roubado", acrescentou a fonte oficial.

O centro alvo da invasão cibernética é uma das 25 instalações que acolhem cerca de 30 mil desertores norte-coreanos que chegaram à Coreia do Sul.

Segundo a mesma fonte oficial, foram feitas revisões em computadores de outros centros, mas não foram detectados sinais de invasões cibernéticas.

A nota oficial do Ministério de Unificação não indica quem pode estar por trás do ataque cibernético e seu objetivo, mas afirmou que se trata do maior roubo de dados de desertores norte-coreanos que vivem na Coreia do Sul já conhecido até agora. EFE

Internacional