PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Chanceler da Venezuela diz que EUA procuram pretexto para "guerra"

O chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza - Seth Wenig/Associated Press
O chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza Imagem: Seth Wenig/Associated Press

Em Caracas

24/02/2019 17h51

O chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza, disse neste domingo que o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, está "desesperado" procurando um "pretexto para a guerra", depois que o americano condenou os "ataques" da polícia contra civis nos distúrbios de ontem.

"Pompeo e seus sicários estão desesperados para fabricar um pretexto para a guerra. Hoje a operação não deu certo. Se quiser localizar quem queimou o caminhão com falsa ajuda humanitária, que procure entre os seus assalariados", disse Arreaza no Twitter.

O político venezuelano respondeu assim a uma mensagem de Pompeo na mesma rede social na qual condenava os "ataques" contra civis "cometidos pelos pistoleiros" do governo de Nicolás Maduro durante os distúrbios ocorridos ontem quando a oposição tentava enviar ao país a ajuda humanitária doada pelos EUA e outras nações.

Perguntas e respostas para entender a crise nas fronteiras da Venezuela

UOL Notícias

Arreaza também acusou Pompeo de ser "especialista da CIA em operações de bandeira falsa" e disse que "seus próprios agentes" queimaram os caminhões com ajuda humanitária incendiados ontem na fronteira entre a Venezuela e a Colômbia.

A oposição, que declarou uma crise humanitária no país pela escassez de remédios e alimentos, acusa a Polícia Nacional Bolivariana deste incêndio.

Os policiais não permitiram a entrada da ajuda humanitária por ordem do governo de Nicolás Maduro, que enfrenta uma crise de legitimidade ao não ser reconhecido por vários países, após vencer eleições tachadas de fraudulentas.

Para Maduro, que ordenou o fechamento das fronteiras com o Brasil e a Colômbia, estas doações são um show político que podem derivar em uma invasão estrangeira.

Internacional