PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Trump: 'Rússia tem que sair da Venezuela'

19.jan.2019 - O presidente dos EUA, Donald Trump - Brendan Smialowski/AFP
19.jan.2019 - O presidente dos EUA, Donald Trump Imagem: Brendan Smialowski/AFP

27/03/2019 14h49

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira (27) que a Rússia "tem que sair" da Venezuela, uma referência aos militares russos que chegaram ao fim de semana no aeroporto internacional de Caracas.

As declarações foram feitas por Trump durante uma reunião com Fabiana Rosales, esposa do chefe da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino do país, um movimento reconhecido pela Casa Branca e outros 50 países.

"A Rússia tem que sair", afirmou Trump ao ser perguntado sobre a presença militar russa na Venezuela durante o inesperado encontro.

No último domingo, dois aviões militares russos pousaram no aeroporto internacional de Maiquetía, o principal de Caracas. Segundo o jornal "El Nacional", 100 soldados estavam a bordo.

O Departamento de Estado dos EUA alertou ontem que "não ficará de braços cruzados enquanto a Rússia exacerba as tensões na Venezuela". Mas o Kremlin defendeu a legalidade da cooperação militar com o governo de Nicolás Maduro.

Perguntado sobre as opções dos EUA para aumentar a pressão sobre o regime chavista, Trump avaliou que o governo de Maduro já está em situação bastante difícil devido às sanções americanas.

"Atualmente já há muita pressão. Ele não tem dinheiro, não tem petróleo, não tem nada", analisou.

"Fora do (tema) militar, não podemos conseguir fazer mais pressão do que já fizemos", completou Trump, voltando a afirmar que todas as opções estão sobre a mesa para solucionar a crise da Venezuela.

Trump lamentou o fato de Maduro não aceitar a ajuda humanitária oferecida pelos EUA e levada até a fronteira da Colômbia.

"Isso não é bom desde um ponto de vista político, nem sequer do ponto de vista de um ditador. Ele (Maduro) prefere que seu povo morra de fome do que receber a ajuda", disse Trump.

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, também falou sobre a chegada de militares russos à Venezuela durante uma outra reunião com a esposa de Guaidó, que ocorreu antes do encontro de Rosales com Trump e a filha do presidente, Ivanka.

"Os EUA veem a chegada de aviões militares à Venezuela como uma infeliz provocação. Hoje pedimos à Rússia para romper o apoio ao regime de Maduro, respaldar Juan Guaidó e se manter ao lado dos países de todo o continente até que a liberdade seja restaurada" indicou Pence. EFE

Internacional