Topo

Coalizão Liberal-Nacional comemora vitória nas eleições da Austrália

18/05/2019 12h26

Rocío Otoya.

Sydney (Austrália), 18 mai (EFE).- A coalizão Liberal-Nacional, do primeiro-ministro Scott Morrison, manterá as rédeas do governo da Austrália após vencer neste sábado as eleições legislativas, contrariando as pesquisas que apontavam a vitória dos opositores trabalhistas.

"Sempre acreditei em milagres... e hoje entregamos outro. Quão grande é a Austrália?", perguntou Morrison em seu discurso da vitória em Sydney, no meio das ovações dos seus correligionários que cantavam "ScoMo", a forma como chamam o primeiro-ministro.

"Esta noite não se trata de mim nem do Partido Liberal, se trata de cada um dos australianos que dependem de um governo que os ponha em primeiro lugar!", acrescentou este político liberal de ideias sociais conservadoras.

As projeções da Comissão Eleitoral Australiana indicam que a coalizão governante conseguiu 74 cadeiras, a duas da maioria absoluta, contra as 67 que teria obtido o Partido Trabalhista, enquanto vários independentes também conseguiram entrar na Câmara dos Deputados.

Diante desse cenário, o líder opositor Bill Shorten admitiu a derrota ao anunciar que "sem querer manter falsas esperanças, enquanto ainda faltam contar milhões de votos e importantes cadeiras para finalizar, é óbvio que os trabalhistas não serão capazes de formar o próximo governo".

O ex-sindicalista também destacou que falou por telefone com Morrison para felicitá-lo pela vitória e antecipou que deixará a liderança do seu partido para abrir passagem a um novo líder, mas que seguirá no parlamento como legislador.

Os liberais comemoram a vitória, mesmo sem saber se a coalizão poderá governar sem alianças com outras formações.

Para governar em maioria na Austrália são necessárias 76 das 151 cadeiras, caso contrário é preciso realizar alianças com os independentes e partidos minoritários da Câmara.

Outras formações que conseguiram cadeiras no Legislativo são o Partido Australiano de Katter, que representa os interesses rurais, o Partido Verde e a Aliança de Centro, além de outros quatro independentes.

Os resultados das eleições de hoje foram uma surpresa para os trabalhistas, que partiam como favoritos na pesquisa da Newspoll desta manhã que lhes dava uma vantagem de três pontos percentuais sobre a coalizão.

Os trabalhistas, que entraram na disputa eleitoral sob a liderança de Shorten com uma de suas mais ambiciosas propostas em décadas, não obtiveram os votos que esperavam, especialmente no estado de Queensland.

Os trabalhistas se comprometeram a reduzir 45% dos gases contaminantes até 2030, a respeito das emissões de 2005, mas uma parte importante dos eleitores em Queensland é favorável ao projeto de exploração de uma gigantesca mina de carvão.

Nestes pleitos legislativos também foram renovados 40 dos 76 representantes do Senado, que não participa da eleição do primeiro-ministro, mas é relevante para a aprovação de leis.

Na última legislatura, Morrison se viu obrigado a negociar intensamente no Senado com os partidos minoritários e os independentes, entre eles o xenofóbico Uma Nação, para desenvolver algumas iniciativas. EFE

Mais Internacional