Topo

Dorian deixa 800 pessoas ilhadas e 200 mil sem energia na Carolina do Norte

6.set.2019 - Morador enfrente chuva e vento forte na passagem do furacão Dorian na cidade de Kitty Hawk, na Carolina do Norte - Mark Wilson/Getty Images/AFP
6.set.2019 - Morador enfrente chuva e vento forte na passagem do furacão Dorian na cidade de Kitty Hawk, na Carolina do Norte Imagem: Mark Wilson/Getty Images/AFP

Em Washington

06/09/2019 18h45Atualizada em 06/09/2019 21h06

Apesar de ter perdido força e ser rebaixado à categoria 1 na escala Saffir-Simpson, que vai até cinco, o furacão Dorian chegou hoje à Carolina do Norte provocando fortes chuvas que deixaram 800 pessoas presas em uma ilha do estado, que fica na costa leste dos Estados Unidos, e mais de 200 mil sem energia.

Debilitado depois da passagem pelas Bahamas, o Dorian ainda traz consigo ventos de 150 km/h. As fortes chuvas que acompanham o furacão geraram inundações e enchentes em Cabo Hatteras, no extremo sul da ilha conhecida como Outer Banks, um dos primeiros locais atingidos pelo fenômeno climático na Carolina do Sul.

"Estamos preocupados porque há centenas de pessoas presas lá. A tempestade é muito intensa. Não acredito que as equipes de resgate possam chegar lá agora, mas elas estão preparadas para atuar o mais breve possível", disse o governador da Carolina do Norte, Roy Cooper, em entrevista coletiva.

Cooper calculou que 800 pessoas podem estar presas na ilha, de quase 25 quilômetros quadrados, e recomendou que as pessoas subam até o ponto mais alto de suas casas para evitar serem arrastadas por possíveis enchentes provocadas pelo Dorian.

Em apenas duas horas, as ondas superaram os dois metros de altura devido ao impacto do furacão, inundando estradas e casas.

"É um desastre absoluto. É impossível exagerar o impacto que a tempestade teve aqui, e ouvi que em Hatteras as coisas estão ainda pior", disse Peter Vankevich, diretor do principal jornal da região, o "Ocracoke Observer", em entrevista ao "The Washington Post".

Mais de 200 mil pessoas estão sem energia na Carolina do Norte devido à queda de árvores e postes. Outras 5 mil foram levadas a abrigos depois de deixarem suas casas. Cerca de 80 estradas estão completamente inundadas.

Agora, o Dorian já avança em direção à Baía de Chesapeake, que divide os estados da Virgínia e de Maryland. A expectativa é que ele chegue até a Nova Inglaterra, em Massachussetts, no sábado.

"Espera-se que durante as próximas horas prossigam os ventos perigosos e as ressacas ciclônicas que podem ameaçar vidas ao longo de partes do litoral da Carolina do Norte, do sudeste da Virgínia e do sul da Baía de Chesapeake", indicou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) no último boletim sobre a situação do Dorian.

A trajetória rumo ao nordeste do país livrou a costa leste dos EUA de um impacto maior do furacão. No entanto, ele ainda deve atingir a Nova Escócia e outras províncias do Canadá na noite de sábado. O NHC prevê, porém, que o Dorian tenha se enfraquecido ainda mais até lá, já tornando-se um ciclone pós-tropical.

Apesar das inundações e da destruição provocada pela passagem do Dorian, as autoridades da Carolina do Norte dizem estar aliviadas pela ausência, por enquanto, de mortos. Há um ano, mais de 30 pessoas morreram no estado durante a passagem do ciclone Florence.

Mais Internacional