PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Madri instalará hospital de campanha com 5 mil leitos em centro de exposições

Plaza Mayor, marco de Madri, vazia após surto de coronavírus na Espanha - Sergio Perez/Reuters
Plaza Mayor, marco de Madri, vazia após surto de coronavírus na Espanha Imagem: Sergio Perez/Reuters

20/03/2020 17h20

Madri, 20 mar (EFE) — A região de Madri, a mais afetada pelo novo coronavírus na Espanha, instalará um hospital com 5,5 mil leitos para pacientes leves e uma unidade de terapia intensiva (UTI), com o apoio do Exército.

Com este dispositivo, que será instalado no IFEMA, um importante centro de exposições e conferências, pretende-se "responder à demanda de atendimento que se espera nos próximos dias", anunciou o governo regional nesta sexta-feira, através de uma mensagem no Twitter.

O número de mortes pela covid-19 na região de Madri aumentou 130 pessoas em 24 horas, totalizando 628, representando 62,7% de todas as mortes registradas na Espanha (1.002 no total), de acordo com os últimos dados de hoje. Isso significa que em Madri houve uma média de uma morte por coronavírus a cada 11 minutos.

Além disso, a região da capital possui 7.165 casos registrados, dos quais 678 estão em UTIs, o que levou ao colapso de muitos desses serviços, e alguns hospitais não admitem mais mais pacientes.

O Ministério da Saúde admitiu hoje que a "sobrecarga" e a "pressão" nas UTIs de certos hospitais estão forçando-as a serem "um pouco mais restritivas" na admissão de pacientes.

Outras regiões estão recorrendo a hospitais de campanha, como o caso de Valência, no leste da Espanha, com mais de 1,1 infecções e 33 mortes.

Já o Ministro da Saúde, Salvador Illa, destacou hoje a "coordenação muito estreita" entre as autoridades nacionais e regionais para possibilitar esses "espaços adicionais" para pacientes com coronavírus.

Todos esses esforços têm como objetivo melhorar o atendimento diante do grande número de pacientes e a expectativa de que os casos de internação aumentem nos próximos dias.

Coronavírus