Presidente da França perdoa mulher que matou marido violento

PARIS (Reuters) - O presidente da França, François Hollande, fez nesta quarta-feira um uso raro dos seus poderes presidenciais ao perdoar uma mulher que havia sido condenada em 2012 por ter matado o marido violento.

Jacqueline Sauvage foi condenada a dez anos de prisão por matar a tiros o marido que havia batido nela por décadas.

As suas três filhas buscaram o perdão presidencial, reunindo mais de 380 mil assinaturas num abaixo-assinado online.

"É uma longa batalha que acaba agora, mas a nossa luta continua por todas as mulheres”, disse Janine Bonaggiunta, advogada de Jacqueline Sauvage, a um canal de TV.

Ela confirmou que a mulher havia deixado a prisão acompanhada por uma das filhas.

Hollande já havia lhe dado uma redução de sentença em janeiro.

"O presidente da República julgou que o lugar dela não era mais na prisão, mas ao lado da família”, disse o seu gabinete em comunicado.

(Reportagem de Jean-Baptiste Vey e Myriam Rivet)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos