Topo

Trump chama premiê britânica de "tola", e embaixador de "maluco", após textos vazados

Presidente dos EUA, Donald Trump, em Washington -
Presidente dos EUA, Donald Trump, em Washington

Michael Holden e Kylie MacLellan

09/07/2019 11h55

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou hoje a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, a quem chamou de "tola", e o embaixador britânico em Washington, a quem chamou de "maluco". Trump intensifica, assim, as críticas contra uma aliada próxima, cujo enviado, o embaixador, classificou o governo norte-americano de inepto.

May deu todo apoio ao embaixador Kim Darroch após uma série de memorandos, nos quais ele descreve o governo dos EUA como "disfuncional" e "desajeitado e inepto diplomaticamente", terem sido publicados por um jornal britânico, no domingo.

Embora ministros e o porta-voz de May tenham dito que as mensagens vazadas são só um reflexo parcial das avaliações de Darroch e não refletem as opiniões do governo, os vazamentos enfureceram Trump, que disparou uma segunda série de tuítes mordazes.

"O embaixador maluco que o Reino Unido impingiu aos Estados Unidos não é alguém que nos empolgue, um sujeito muito idiota", escreveu Trump, descrevendo Darroch como um "tolo pomposo".

"Ele deveria falar com seu país, e com a primeira-ministra May, sobre a negociação fracassada do Brexit, e não ficar aborrecido com minha crítica sobre o quão mal a negociação foi tratada. Eu disse a Theresa May como fazer aquele acordo, mas ela fez de seu jeito tolo -- não foi capaz de consegui-lo. Um desastre!"

May deve deixar o cargo no final do mês e já se chocou com Trump a respeito de várias questões, das relações com os muçulmanos ao acordo nuclear de 2015 com o Irã.

Mas a nova discórdia veio no momento em que o Reino Unido espera fechar um grande acordo comercial com seu aliado mais próximo depois de deixar a União Europeia, uma separação marcada para 31 de outubro.

Os dois candidatos ao posto de May, o ex-prefeito de Londres Boris Johnson e o secretário das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, indicaram que podem defender a saída do bloco sem um acordo, o que torna um futuro pacto com os EUA ainda mais importante.

Johnson, o mais cotado para assumir como próximo líder britânico, insinuou que compartilha a visão de Trump sobre a maneira como May negociou o Brexit e disse que os EUA continuarão sendo o maior parceiro militar e político do país.

O ministro do Comércio do Reino Unido disse que pediria desculpas a Ivanka Trump, filha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com quem se encontraria durante uma visita a Washington nesta semana. Darroch deveria participar deste encontro, mas agora desistiu, noticiou a rede BBC.

(Reportagem adicional de Elizabeth Piper)

Internacional