PUBLICIDADE
Topo

França ultrapassa 4.000 mortes por coronavírus sem fim de isolamento à vista

Bandeira da França em sacada de Paris durante quarentena de coronavírus - Pierre Suu/Getty Images
Bandeira da França em sacada de Paris durante quarentena de coronavírus Imagem: Pierre Suu/Getty Images

Benoit Van Overstraeten, Elizabeth Pineau e Jean-Stephane Brosse

01/04/2020 19h24

A França se tornou hoje o quarto país a ultrapassar a marca de 4.000 mortes por coronavírus, depois de Itália, Espanha e Estados Unidos, enquanto o governo trabalha para ficar à frente da curva em relação aos leitos equipados com ventiladores que estão lotando rapidamente.

As autoridades de saúde francesas relataram 509 novas mortes pela doença, elevando o total para 4.032. Mas, depois de subir nos dois dias anteriores, a taxa de mortes desacelerou na França, que está agora em sua terceira semana de isolamento para tentar conter a propagação do vírus.

Falando por videoconferência a um comitê parlamentar criado para avaliar como o governo lida com a crise, o primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, disse que o isolamento provavelmente será desfeito gradualmente e não de uma só vez.

O governo ordenou que as pessoas fiquem em casa, exceto para viagens essenciais, de 17 de março até 15 de abril.

"É provável que não iremos caminhar para um fim do confinamento geral de uma só vez e para todos", disse Philippe, sem indicar quando o governo pode começar a aliviar ou suspender completamente o isolamento.

A contagem diária do governo ainda registra apenas os que morrem em hospitais, mas as autoridades dizem que em breve serão capazes de compilar dados sobre mortes em casas de repouso, o que provavelmente resultará em um grande aumento de mortes registradas.

O diretor da agência estatal de saúde, Jérôme Salomon, disse em entrevista coletiva que o número de casos subiu para 56.989, um aumento de 9%, ante elevação de 17% ontem.

Coronavírus