PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
1 mês

Diplomatas dos EUA retornam à embaixada de Kiev pela primeira vez desde invasão

24.jan.2022 -  O prédio da Embaixada dos EUA em Kiev, na Ucrânia - Sergei Supinsky/AFP
24.jan.2022 - O prédio da Embaixada dos EUA em Kiev, na Ucrânia Imagem: Sergei Supinsky/AFP

Simon Lewis

08/05/2022 14h57Atualizada em 08/05/2022 15h13

A principal diplomata dos Estados Unidos na Ucrânia, Kristina Kvien, e sua equipe chegaram a Kiev neste domingo, disseram autoridades, após o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, prometer em uma visita no mês passado reabrir em breve a embaixada dos EUA na capital ucraniana.

O movimento é o mais recente passo para a retomada da presença diplomática completa dos EUA em Kiev, depois que diplomatas norte-americanos começaram a retornar à cidade de Lviv no mês passado, tendo deixado o país antes da invasão da Rússia em 24 de fevereiro por preocupações com a segurança.

A viagem, programada para comemorar o Dia da Vitória na Europa neste domingo, foi uma visita temporária e não sinaliza a reabertura da embaixada, disse uma autoridade de alto escalão do Departamento de Estado. A Rússia comemora a derrota da Alemanha nazista em 1945 na segunda-feira, em seu Dia da Vitória.

Blinken conversou com o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, neste domingo, e informou a ele que um pequeno grupo liderado por Kvien "viajou para Kiev para conduzir um compromisso diplomático antes da retomada planejada das operações da Embaixada de Kiev", disse o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Ned Price, em comunicado.

O grupo foi acompanhado por seguranças do Departamento de Estado dos EUA, segundo Price.

Vídeos publicados nas redes sociais neste domingo mostraram uma carreata entrando no complexo da embaixada.

A equipe é a primeira delegação do governo Biden a visitar a capital ucraniana desde a invasão, além da visita de Blinken ao lado do secretário de Defesa, Lloyd Austin. Blinken e Austin não visitaram a embaixada.