Conteúdo publicado há 9 meses

Marrocos: Sobe a 2.681 nº de mortos no tremor; busca de sobreviventes segue

As equipes de resgate corriam contra o tempo na segunda-feira para encontrar sobreviventes nos escombros, mais de 48 horas após o terremoto mais letal do Marrocos em mais de seis décadas, com 2.681 mortos, em um desastre que devastou vilarejos nas montanhas do Alto Atlas.

Socorristas de Espanha, Reino Unido e Catar se uniram aos esforços para encontrar sobreviventes do terremoto de magnitude 6,8 que ocorreu na noite de sexta-feira, 72 km a sudoeste de Marrakech.

Muitos sobreviventes passaram a terceira noite ao relento, com suas casas destruídas ou tornadas inseguras pelo terremoto mais forte do Marrocos desde pelo menos 1900. O número de mortos subiu para 2.497, e 2.476 pessoas ficaram feridas, informou a agência de notícias estatal na segunda-feira.

Em Imgdal, um vilarejo a cerca de 75 km ao sul de Marrakech, mulheres e crianças se amontoavam sob tendas improvisadas montadas ao longo da estrada e ao lado de edifícios danificados. Alguns se reuniram em torno de uma fogueira. Mais ao sul, um carro estava esmagado por pedras que haviam caído do penhasco.

No vilarejo de Tafeghaghte, Hamid ben Henna descreveu como seu filho de 8 anos morreu sob os destroços depois de ter ido buscar uma faca na cozinha enquanto a família fazia a refeição da noite. O restante da família sobreviveu.

Com grande parte da zona do terremoto em áreas de difícil acesso, o impacto total ainda não foi contabilizado. As autoridades não divulgaram nenhuma estimativa do número de pessoas ainda desaparecidas.

As estradas bloqueadas ou obstruídas por rochas deslocadas dificultavam o acesso aos locais mais atingidos.

As pessoas estão recuperando pertences das ruínas de suas casas e descrevendo cenas de desespero ao cavar com as próprias mãos para encontrar parentes.

Continua após a publicidade

Muitas estruturas, inclusive casas construídas com métodos tradicionais, desmoronaram facilmente.

Os danos causados ao patrimônio cultural do Marrocos têm surgido gradualmente. Os prédios da cidade velha de Marrakech, um Patrimônio Mundial da Unesco, foram danificados. O terremoto também causou grandes danos à Mesquita Tinmel, historicamente importante, do século 12, em uma área montanhosa remota mais próxima do epicentro.

Deixe seu comentário

Só para assinantes