Conteúdo publicado há 10 meses

Terremoto no Marrocos: vídeos flagram reação ao tremor e destruição no país

Imagens publicadas nas redes sociais mostram a reação de moradores e os impactos do terremoto que atingiu o Marrocos na sexta-feira (8). Mais de mil mortes já foram confirmadas.

O que aconteceu

Há pelo menos 1.037 mortos e 1.204 feridos — sendo 721 em estado grave —, segundo a última atualização da mídia estatal na manhã de sábado (horário de Brasília).

Este foi o terremoto mais forte a atingir a região nos últimos 100 anos, estima o USGS (Serviço Geológico dos Estados Unidos).

O terremoto ocorreu a 71 km a sudoeste de Marrakech, a uma profundidade de 18,5 km, às 23h11 no horário local (19h11 do horário de Brasília), diz o USGS.

Fuga na rua e em restaurante após os primeiros tremores

Uma câmera na rua flagrou o momento em que pessoas percebem os tremores e, assustados, fogem. Instantes depois, os primeiros destroços começam a cair próximo ao local onde dois homens estavam sentados.

Um vídeo gravado em um restaurante também mostra o pânico no local. As pessoas correm para a saída.

Outros registros mostram ruas já empoeiradas e com destroços ainda à noite, logo após os tremores atingirem a região.

Continua após a publicidade

Prédio desaba em frente a moradores

Um vídeo capta o momento em que um prédio desaba em frente a moradores ainda na noite dos tremores. A nuvem de poeira rapidamente toma conta das ruas.

Veja como ficou a vila acima do epicentro do terremoto

Na manhã do sábado, moradores inspecionaram os danos na vila de Moylay Brahim, na província de Al-Haouz, localizada acima do epicentro do abalo sísmico.

Continua após a publicidade

A maioria das residências tem pelo menos uma avaria como consequência do tremor —grande parte está ou totalmente destruída, ou pela metade, com escombros espalhados no terreno.

'Nunca vivi algo tão violento': o relato das ruas

Testemunhas falam de cadáveres empilhados nas ruas, entre as casas destruídas. A população está protegendo os corpos das vítimas com cobertores, esperando para que possam ser sepultados.

"Nunca vivi algo tão violento. Não consegui dormir desde então", relata uma moradora de Marrakech. "Eu tento dormir, pois passei uma noite em claro, mas não consigo, pois estou com medo das réplicas", completa.

"O pânico era visível nas ruas", contou à RFI Abderrahim, outro morador de Marrakech. "As pessoas saiam de suas casas carregando cobertores e colchões, pois ninguém queria passar a noite em casa. Tinha engarrafamentos imensos. Muitos estacionavam seus carros para dormir no acostamento".

Continua após a publicidade

Histórico

Marrocos está localizado em uma região propensa a terremotos devido à sua posição entre as placas tectônicas africana e euroasiática.

Em 2004, ao menos 628 pessoas morreram e 926 ficaram feridas quando um terremoto atingiu Alhucemas, no nordeste do país.

Em 1980, o terremoto em El Asnam, na Argélia, com uma magnitude de 7,3, foi um dos terremotos mais destrutivos da história contemporânea. Resultou na morte de 2.500 pessoas e deixou pelo menos 300 mil pessoas desabrigadas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes