Houthis atacam navio carregando milho do Brasil com destino ao Irã

Os houthis do Iêmen, alinhados com o Irã, dispararam dois mísseis na segunda-feira contra um navio cargueiro com destino ao Irã, no Mar Vermelho, causando pequenos danos à embarcação, mas sem feridos, disseram autoridades militares dos EUA.

Os ataques da madrugada parecem ter sido a primeira vez que os houthis tiveram como alvo um navio com destino ao Irã desde que iniciaram os ataques à navegação internacional em solidariedade aos palestinos por causa da guerra entre Israel e Hamas em Gaza, disseram fontes do setor de navegação.

"Militantes houthis apoiados pelo Irã dispararam dois mísseis de áreas controladas pelos houthis no Iêmen em direção a Bab al-Mandeb", disse o Comando Central dos EUA no site de mídia social X, anteriormente conhecido como Twitter.

"Ambos os mísseis foram lançados contra o MV Star Iris, um navio de carga de propriedade grega, com bandeira das Ilhas Marshall, que transitava pelo Mar Vermelho transportando milho do Brasil."

"O navio está em condições de navegar, com pequenos danos e sem ferimentos na tripulação", disseram funcionários do CentCom no X. "Vale ressaltar que o destino do MV Star Iris é Bandar Iman Khomeini, no Irã."

O porta-voz militar dos Houthis, Yahya Saree, disse em uma declaração televisionada que o navio era americano, mas rastreadores de navios marítimos disseram que o navio com bandeira das Ilhas Marshall era de propriedade grega.

O Star Iris estava transportando uma carga de milho do Brasil para o Irã, de acordo com o CentCom e a análise de rastreamento de navios do grupo de dados e análises Kpler.

"O Star Iris, como todos os navios graneleiros com destino ao Irã, não se desviou do Mar Vermelho, talvez sem medo de ataques dos houthis apoiados pelo Irã, que poderiam ser considerados 'amigáveis' devido ao destino da embarcação", disse Ishan Bhanu, analista líder de commodities agrícolas da Kpler.

"Com uma projeção de 4,5 milhões de toneladas para este ano, os fluxos do Brasil representam a maior parte das importações de milho do Irã."

Continua após a publicidade

Uma autoridade de segurança regional disse que o ataque parece ter sido projetado para "mostrar que o Irã não controla os Houthis e que eles agem de forma independente", e que os Houthis informaram Teerã com antecedência.

Os militantes houthis no Iêmen, que controlam as regiões mais populosas do país, têm disparado repetidamente contra navios comerciais internacionais desde meados de novembro. Seus alvos foram navios com vínculos comerciais com os Estados Unidos, a Grã-Bretanha ou Israel, segundo fontes de navegação e seguros.

Os ataques fizeram com que várias empresas interrompessem as viagens pelo Mar Vermelho e optassem por uma rota mais longa e mais cara ao redor da África, e aviões de guerra dos EUA e da Grã-Bretanha realizaram ataques de retaliação em todo o Iêmen.

STAR IRIS

O Star Iris, um grande graneleiro panamax, é administrado pela Star Bulk Carriers, com sede em Atenas e listada na Nasdaq, dos EUA.

Um porta-voz da Star Bulk encaminhou perguntas à coalizão liderada pelos EUA encarregada de conter esses ataques.

Continua após a publicidade

As autoridades iranianas não responderam a um pedido de comentário. O comércio de commodities alimentícias do Irã está isento das sanções dos EUA.

A empresa britânica de segurança marítima Ambrey disse que o Star Iris teria sofrido danos em seu lado estibordo após ser alvo de um projétil, quando a embarcação estava a 43 km a nordeste de Khor Angar, em Djibuti, e a 40 milhas náuticas a sudoeste da cidade portuária de Mokha, no Mar Vermelho, no Iêmen.

A Ambrey disse que o navio graneleiro estava indo para Bandar Imam Khomeini, um dos maiores portos do Irã e um importante terminal de grãos. O UKMTO disse que a tripulação não sofreu ferimentos e que o navio estava seguindo para seu próximo porto de escala.

*Reportagem de Nayera Abdallah e Jana Choukeir, Jonathan Saul em Londres, Angeliki Koutantou em Atenas e Dan Whitcomb em Los Angeles

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes