PUBLICIDADE
Topo

França espera receber 50 milhões de turistas em 2021

01/08/2021 14h05

Apesar da rápida propagação da variante Delta, a França espera receber 50 milhões de turistas estrangeiros este ano, contra 35 milhões no ano passado e 90 milhões em 2019. A projeção foi divulgada pelo secretário de Estado do Turismo, Jean-Baptiste Lemoyne, em entrevista ao Journal du Dimanche (JDD).

Apesar da rápida propagação da variante Delta, a França espera receber 50 milhões de turistas estrangeiros este ano, contra 35 milhões no ano passado e 90 milhões em 2019. A projeção foi divulgada pelo secretário de Estado do Turismo, Jean-Baptiste Lemoyne, em entrevista ao Journal du Dimanche (JDD).

Os viajantes são esperados principalmente de países da Europa, enquanto a clientela internacional "distante", da Ásia e América do Sul, ainda deve permanecer em grande parte ausente do território francês, devido ao contexto sanitário.

A França deve continuar recebendo uma clientela de proximidade - alemães, holandeses e belgas, entre outras nacionalidades. Esses visitantes são atraídos pela variada infraestrutura turística do país e um sistema de saúde de qualidade, caso ocorra uma emergência. A exceção ficará por conta dos britânicos. Assim como aconteceu no verão passado, a frequência de turistas provenientes do Reino Unido deve ser menor, já que o governo do primeiro-ministro Boris Johnson estabeleceu uma quarentena rígida de vários dias para quem regressar do território francês.

Segundo Lemoine, "alguns americanos voltaram desde junho, mas não veremos turistas asiáticos novamente antes de 2022". Na entrevista ao JDD, o secretário de Estado disse ainda que Paris tem sofrido com a falta de turismo de negócios.

Uma parte dos prejuízos do setor de hotelaria e restaurantes será compensada pelo turismo doméstico. Em 2020, 94% dos franceses que saíram de férias escolheram destinos na França. A tendência está se repetindo em 2021, com 80% dos franceses passando férias no país, explicou Jean-Baptiste Lemoyne.

A variante Delta do coronavírus continua se propagando no país, principalmente em áreas turísticas. Na região dos Pirineus Mediterrâneos (sul), as hospitalizações foram multiplicadas por dez em menos de um mês. Em 30 de junho, havia 30 pacientes internados com a Covid-19 nos hospitais da região, contra 300 nesta semana, segundo a Agência Regional de Saúde.

Neste domingo (1), o Ministério da Saúde anunciou que 1.137 pacientes com a forma grave da Covid-19 estão hospitalizados em UTIs, o que representa um aumento de 38 casos em 24h.