PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

UE proíbe 97 companhias de aviação de sobrevoar espaço aéreo europeu

Aeroporto de Joanesburgo no dia 27 de novembro: voos cancelados à medida que os países fechavam suas fronteiras para a África do Sul - AFP
Aeroporto de Joanesburgo no dia 27 de novembro: voos cancelados à medida que os países fechavam suas fronteiras para a África do Sul Imagem: AFP

06/12/2021 11h40Atualizada em 06/12/2021 12h07

A Comissão Europeia atualizou nesta segunda-feira (6) a lista de companhias aéreas proibidas de operar no espaço aéreo europeu por não cumprirem as normas internacionais de segurança.

De acordo com a revisão da lista europeia, 97 operadoras estão agora proibidas de voar no bloco, menos do que as 103 listadas anteriormente. Isto porque várias empresas moldavas foram reinseridas na lista "depois de melhorias na segurança aérea no país", como a Air Moldova, a HiSky e a FlyOne, que atende a França.

Todas as companhias aéreas de 15 países fazem a partir de agora parte da lista de proibições da União Europeia (UE). Os países são Afeganistão, Angola, Armênia, Congo, República Democrática do Congo (RDC), Djibouti, Guiné Equatorial, Eritreia, Quirguistão, Libéria, Líbia, Nepal, São Tomé e Príncipe, Serra Leoa e Sudão.

As proibições são "devido à supervisão de segurança inadequada por parte das autoridades de aviação dessas nações", disse a Comissão Europeia.

"Graves deficiências de segurança"

Sete outras companhias aéreas também foram proibidas de voar na UE: a Avior Airlines da Venezuela, a Blue Wing Airlines do Suriname, a Iran Aseman Airlines, a Iraqi Airways, a Med-View Airlines da Nigéria, a Skol Airlines da Rússia e a Air Zimbabwe.

A Comissão disse que a identificação de "graves deficiências de segurança" estava por trás da decisão de incluí-las na lista de proibição de acesso ao espaço aéreo europeu, informou o canal de TV francês BFM.

"Manter o mais alto nível de segurança para todos os passageiros aéreos e para o pessoal das companhias aéreas é uma das principais prioridades", disse a comissária de Transporte europeia, Adina V?lean. "A Lista de Segurança Aérea da UE continua a ser uma das nossas ferramentas mais eficazes para o conseguir isso", completou.

O site da Comissão Europeia justifica que "garantir o mais elevado nível de segurança da aviação para os europeus e todos os outros passageiros que viajam para e dentro da União Europeia está no cerne da política de segurança da aviação da Comissão".

Coronavírus