Brasil não defende o Irã, Brasil defende o diálogo, afirma assessor de Lula

Ivan Richard
Da Agência Brasil

  • Sebastião Moreira/Efe

    O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia

    O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia

O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, negou há que o Brasil seja amigo do Irã ou que esteja defendendo o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, no que se refere à sua política nuclear.

Segundo Garcia, o Brasil está tentando trazer o Irã para um debate internacional visando a uma solução pacífica para a questão nuclear.

“Quem lhe disse que estamos defendendo o Irã? Isso é uma versão que vocês [da imprensa] estão tentando passar”, disse Garcia em reposta à pergunta de que o Brasil estaria comprando uma briga com outros países, como os Estados Unidos, por se opor a sanções ao Irã.

”Estamos defendendo o Irã coisa alguma. Temos dito que queremos negociar com o Irã uma solução pacífica para esse impasse. Outros países querem satanizar o Irã, excluindo-o através de uma série de sanções que não vão ter nenhum efeito senão o de solidificar mais o Irã contra uma suposta ameaça externa”.

De acordo com Garcia, o presidente iraniano tem sinalizado a disposição de reatar com a Agência Internacional de Energia Nuclear. “O mais importante é que há a disposição do presidente Ahmadinejad de reatar o diálogo com a Agência Internacional de Energia Nuclear. A nossa preocupação é uma só: queremos que o Irã se submeta às inspeções da Agência Internacional de Energia Nuclear. Se fizer isso, estaremos muito satisfeitos”, afirmou Garcia.

O assessor ainda voltou a criticar a imprensa pedindo que “parem com essa história de que somos aliados do Irã, de que somos amigos do Irã. Estamos simplesmente querendo trazer o Irã para uma solução diplomática”.

 

Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos