PUBLICIDADE
Topo

Jamil Chade

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Covid-19 atingiu até 80% da população da UE

França era um dos raros países na Europa a ofertar testes de Covid gratuitos para todos, inclusive viajantes estrangeiros - Reuters
França era um dos raros países na Europa a ofertar testes de Covid gratuitos para todos, inclusive viajantes estrangeiros Imagem: Reuters
Jamil Chade

Jamil Chade é correspondente na Europa há duas décadas e tem seu escritório na sede da ONU em Genebra. Com passagens por mais de 70 países, o jornalista paulistano também faz parte de uma rede de especialistas no combate à corrupção da entidade Transparência Internacional, foi presidente da Associação da Imprensa Estrangeira na Suíça e contribui regularmente com veículos internacionais como BBC, CNN, CCTV, Al Jazeera, France24, La Sexta e outros. Vivendo na Suíça desde o ano 2000, Chade é autor de cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Entre os prêmios recebidos, o jornalista foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior pela entidade Comunique-se.

Colunista do UOL

27/04/2022 12h53

Entre 60% e 80% da população da Europa foi contaminada pela covid-19. A constatação é da própria Comissão Europeia que, num documento publicado nesta quarta-feira, sinaliza que entrará numa fase pós-emergência da crise sanitária.

"Estima-se que entre 60% a 80% da população da UE já teve a COVID", disse a comissária de saúde da UE, Stella Kyriakides, em uma coletiva de imprensa.

A OMS estima que os números oficialmente registrado de casos não revelam a real dimensão da pandemia, mas insiste que os testes precisam continuar para que se saiba a trajetória do vírus.

Ao se preparar para esta fase menos aguda, os governos da União Europeia deveriam aumentar as imunizações de crianças contra a COVID-19, disse o órgão executivo do bloco, sinalizando que estava considerando planos para desenvolver antivirais.

Pelos cálculos atuais, o vírus atingiu cerca de 30% da população europeia. Mas, com milhões de pessoas sem sintomas, a taxa real poderia ser de 350 milhões de europeus, cerca de 77% da população do bloco.

O que preocupa os agentes sanitários, os governos e a OMS é que uma nova variante possa surgir. Segundo a agência da ONU, uma mutação tem sido registrada a cada cinco meses. Por isso, a entidade insiste que governos devem ser planos para voltar a implementar medidas de emergência, intensificar as vacinações ou determinar controles, caso necessário.

Um dos focos, segundo a OMS, é a de pressionar para que a população que não se vacinou opte pela imunização. "Quem more hoje de covid-19 são as pessoas que optaram por não se vacinar", insistiu Maria van Kerkhove, diretora técnica da OMS.

Outro foco é a garantia de vacinas para crianças. Na Europa, as taxas de imunização neste grupo estão abaixo de 15%.