PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

DNA dos problemas do PT é 100% feito de Lula

Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

01/12/2020 19h39

O Partido dos Trabalhadores discute os seus problemas desde 2005, quando Roberto Jefferson jogou o mensalão no ventilador. Decorridos 15 anos, dois mega-escândalos, várias passagens pela cadeia, um impeachment e uma colossal lipoaspiração partidária, o PT continua discutindo os seus problemas em vez de resolvê-los. Um partido não apodrece por cair na lama. Ele apodrece por permanecer lá. O PT parece ter desenvolvido uma certa afeição pelo lodo.

No momento, o petismo se encaminha para transformar Gleisi Hoffmann, presidente do PT, em boi de piranha —uma personagem que é jogada no rio para ser devorada, enquanto alguém escapa. Gleisi é uma dirigente precária. Mas os petistas, como de hábito, escolhem seus bodes expiatórios esquecendo-se de mencionar o grande bode exultório da legenda, uma figura que escapa sempre: Lula. Gleisi é mera preposta do grande chefe no comando do partido. Faz o que ele manda ou consente.

O DNA da crise que produz o definhamento do PT é faz é 100% feito de Lula. É dele a autoria do mito da gerentona, que levou a inépcia de Dilma à Presidência. Deu em ruína econômica e impeachment. Foi nos governos dele que o PT se converteu na máquina coletora de fundos que desaguou no mensalão e no petrolão. Deu em cadeia. Foi por causa dele que o partido misturou o "Lula Livre" à pauta eleitoral de 2018. Deu em Jair Bolsonaro.

No momento, o PT se divide entre a contemplação de suas feridas e o esforço para anular no Supremo Tribunal Federal a sentença que levou Lula à prisão. Simultaneamente, o partido mantém debaixo do tapete todo o lixo acumulado na sua passagem pelo poder federal. Essa estratégia tem dois problemas. O primeiro é que a desfaçatez vaza pelas bordas do tapete. O segundo é a presunção do PT de que o Brasil é uma nação de bobos. A cada nova eleição o brasileiro informa ao PT que não é imbecil. Mas o partido demora a compreender o recado.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL