PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

"Ted Lasso" exibe um produto da Apple por minuto; vilões não usam iPhone

Cena de Ted Lasso, série do Apple TV+ - Divulgação
Cena de Ted Lasso, série do Apple TV+ Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

14/09/2021 13h48

A inserção de produtos em séries, filmes e novelas é um negócio antigo, conhecido e milionário. Aparelhos da Apple, como telefones e computadores, aparecem frequentemente em programas de ficção. Mas, como será que a Apple lida com as séries que a própria empresa produz e exibe em sua plataforma de streaming, lançada em novembro de 2019?

Um jornalista do Wall Street Journal, um dos principais jornais de economia do mundo, se deu ao trabalho de assistir a 74 episódios de cinco séries disponíveis na Apple TV + ("Ted Lasso", "Mytic Quest", "The Morning Show", "Trying" e "Defending Jacob"). E se surpreendeu ao identificar 704 aparições de produtos da própria empresa, quase dez por episódio. Um número muito acima do padrão.

No caso de um único episódio de 29 minutos de "Ted Lasso", hoje o maior sucesso da Apple TV, foram 36 aparições de produtos - 1,24 por minuto. Nos 14 episódios desta série analisados, foram 230 inserções de produtos da empresa.

O repórter Kenny Wassus detalhou até o tipo de produto que mais aparece na ficção do canal - 300 aparições de iPhones (telefones), 120 MacBooks (computador), 40 pares de Air Pods (fone de ouvido), entre outros.

Segundo o jornalista, a Apple não quis comentar o levantamento. Ele também procurou, sem sucesso, os produtores das séries.

O chamado "product placement" é uma arte embasada em conhecimento científico sobre o espectador. O centro da tela é o lugar para onde converge o olhar de quem assiste. Por este motivo, a grande maioria dos produtos que aparecem nas séries da Apple surgem sempre nesta posição.

No ano passado, o diretor Rian Johnson ("Star Wars") revelou que a Apple proíbe que vilões apareçam em cena com iPhones. O levantamento do "Wall Street Journal" confirmou essa informação - a grande maioria das inserções de produto nas séries analisadas está relacionada a personagens queridos do público.