PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Folha: 'Gaslit' termina domingo com novos heróis e vilões do caso Watergate

Sean Penn e Julia Roberts em cena da série "Gaslit"  - Divulgação/Starz
Sean Penn e Julia Roberts em cena da série "Gaslit" Imagem: Divulgação/Starz
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o "Lance!" e a "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Adeus, Controle Remoto" (editora Arquipélago, 2016), "História do Lance! ? Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo? (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011). Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Colunista do UOL

11/06/2022 07h01

Vai ao ar neste domingo (12) o último episódio de "Gaslit", uma das séries mais surpreendentes do ano. Cinquenta anos depois do Watergate, possivelmente o escândalo político mais conhecido da história contemporânea, esta produção consegue oferecer um ponto de vista inteiramente diferente sobre os acontecimentos.
(...)
"Gaslit" também se debruça sobre os muito "idiotas", nas palavras de um deles, que assessoravam Nixon naqueles anos. Ainda que em alguns momentos escorregue para a galhofa, a série conta com um elenco tão bom que a descrição daquele universo de subalternos irresponsáveis, medíocres e bajuladores parece convincente.
(...)
O ponto alto de "Gaslit" é o retrato que apresenta de Martha Mitchell, a mulher do então procurador-geral da República, John N. Mitchell. Tratava-se de uma socialite deslumbrada, que gostava de contar fofocas do poder aos jornalistas e cujo excesso de sinceridade abalou o governo Nixon. Personagem de múltiplas camadas, Martha ganhou uma dimensão extraordinária na interpretação de Julia Roberts, que, não à toa, é o cartão de visitas da série.

Íntegra aqui