PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Vaza Jato mostra que Moro não travou a luta do bem contra o mal

Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Chefe da Sucursal de Brasília do UOL

04/02/2021 15h07

Tem gente que já não é mais criança, mas que acredita na luta do bem contra o mal. Tem gente esperta que finge estar travando uma guerra assim. Em geral, os políticos estão nesse segundo grupo. Mas o vazamento das conversas entre o então juiz Sergio Moro, o procurador da República Deltan Dallagnol e a turma da Lava Jato mostra que eles também iludiram o povo com uma falsa luta do bem contra o mal.

É difícil falar desse assunto, porque até hoje boa parte dos eleitores e dos jornalistas continuam acreditando na luta do bem contra o mal.

Vi muita gente boa dizendo que votaria em qualquer um contra o PT, porque a Lava Jato mostrara que os petistas eram, aspas, "do mal".

E olha no que temos hoje aí.

Também muito político esperto naquele momento caindo fora da canoa, porque notou que Moro conseguira carimbar a turma do Lula como bandida.

Esses, voltaram logo depois para o centro do poder, junto com o próprio Sérgio Moro, que ganhou uma cadeira na Esplanada dos Ministérios.

Particularmente, sempre achei que houve alguns petistas no governo que realmente se locupletaram. Mas, sinceramente, não acho que Lula e Dilma se enquadrem nesse grupo.

Também acredito que muita gente do PSDB, do MDB, do DEM e do centrão meteu a mão no dinheiro público. Mas dá para dizer que Fernando Henrique Cardoso ou Itamar Franco tenham feito isso?

A política e o mundo não são uma luta do bem contra o mal. E a Vaza Jato mostra que a Lava Jato iludiu o país com essa falsa dicotomia.

Lembro de uns versos do livro "As mil e uma noites", que um amigo meu aprendeu a recitar quando voltava de uma estada na União Soviética em que presenciou a derrocada do regime. O Luiz Carlos Azedo declamava assim:

"Eles julgaram a seu modo
E se acumpliciaram nesse trabalho
Dentro em pouco, seu poder parecerá que nunca existiu
Poderiam ter permanecido justos e puros
mas abusaram do poder
e o mundo por seu turno os oprimiu
assim como a adversidade e a provação"

É, Sérgio Moro, você e a turma da Lava Jato não se sentem espelhados nesse poema?

Se acumpliciaram naquele trabalho, acreditaram tanto no próprio poder, mas abusaram. E, ao que parece, o mundo e a história não os estão perdoando.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL