Conteúdo publicado há 2 meses

Tales: TSE sentiu pressão e foi encurralado por bolsonaristas no caso Seif

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sentiu a pressão dos bolsonaristas ao adiar o julgamento que pode cassar o mandato do senador Jorge Seif (PL-SC), criticou o colunista Tales Faria no UOL News da manhã desta quarta-feira (1º).

O tribunal decidiu que a investigação realizada não foi suficiente e que são necessárias mais informações para concluir o processo. Na prática, a decisão representa um retrocesso da ação para a fase de produção de provas, o que adia o julgamento do caso.

O tribunal sentiu a pressão. Sentiu a pressão e resolveu adiar para ver se essa pressão lá na frente diminui. O tribunal sentiu a pressão e adiou para poder decidir mais adiante para ver se passa a pressão. Nesse momento, os bolsonaristas conseguiram encurralar o TSE.
Tales Faria, colunista do UOL

O que aconteceu

O relator entendeu que as informações obtidas até agora não são suficientes. Floriano de Azevedo Marques defendeu que sejam solicitadas informações à empresa Havan e aos aeroportos dos municípios do interior de Santa Catarina citados no processo.

A ação acusa Seif de abuso de poder econômico nas eleições de 2022. Ele teria se beneficiado da estrutura da rede de lojas Havan durante a campanha. A ação, movida pela chapa Bora Trabalhar (PSD, Patriota e União Brasil), pedia a cassação do mandato do parlamentar, um dos expoentes do bolsonarismo em Santa Catarina, e de seus dois suplentes.

A proposta foi submetida ao plenário, e apenas o ministro Raul Araújo votou contra. Com isso, o TSE deu 48h para que a Havan informe os prefixos de todas as aeronaves da empresa de janeiro de 2022 a março de 2023. Estão incluídos na decisão todos os aviões com qualquer tipo de relação jurídica com a empresa (alugada, financiada etc) e que estivessem à disposição da empresa ou de seu dono, Luciano Hang, no período.

Em seguida, os aeroportos deverão informar os voos feitos por esses aviões e os passageiros transportados durante o período eleitoral. O TSE deu um prazo de 72h para o fornecimento desses dados.

O Ministério Público Eleitoral defendeu a cassação do parlamentar. Em manifestação no plenário do TSE, em 4 de abril, o MP Eleitoral entendeu que Seif usou de forma irregular o helicóptero da Havan para participar de diversos compromissos de campanha, na companhia de Hang.

Continua após a publicidade

O empresário colocou à disposição do candidato que apoiava toda a estrutura empresarial que, por óbvio, criou uma desigualdade fática evidente com relação aos demais candidatos.
Alexandre Espinosa, vice-procurador-geral eleitoral

A defesa de Seif, por sua vez, alegou que a ação não trazia provas das acusações.

Em novembro, o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina julgou a ação improcedente. Diante disso, a coligação Bora Trabalhar recorreu ao TSE, a última instância da Justiça Eleitoral, em Brasília.

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Continua após a publicidade

Veja a íntegra do programa:

Deixe seu comentário

Só para assinantes