Conteúdo publicado há 1 mês
Tales Faria

Tales Faria

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Sem bala, Lula vai propor armistício a Arthur Lira

O colunista do UOL Tales Faria afirmou durante o programa Análise da Notícia que, diante de mais uma derrota do governo na Câmara, o presidente Lula (PT) terá que negociar pessoalmente com Arthur Lira para que o governo mantenha uma boa relação com o Congresso.

Sem bala, Lula vai propor armistício a Arthur Lira. Tales Faria

Na noite de ontem (16), com 293 votos a favor e 111 votos contra, a Câmara aprovou urgência de PL que pune invasão de propriedade rural. A aprovação foi vista como um recado dos parlamentares para o Palácio do Planalto, e o fato de Arthur Lira ter colocado o projeto em votação incomodou o governo. Havia um acordo para que temas considerados polêmicos não fossem votados na noite de ontem, mas Lira decidiu levar o PL ao plenário após um desentendimento com o ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar do Brasil, Paulo Teixeira.

O projeto foi aprovado de noite, mas de manhã houve uma reunião de líderes do governo com Arthur Lira e nessa reunião ficou acertado que não ia ter nenhum fato polêmico em votação no plenário, mas Lira foi lá e colocou esse ponto que é altamente polêmico entre governo e oposição. Colocou porque o primo dele, que era do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em Alagoas, foi exonerado pelo ministro Paulo Teixeira. Tales Faria

Tales destacou que havia um acordo entre o ministro e Arthur Lira para a exoneração mas após ser pego de surpresa e não indicar um novo nome para a função, o presidente da Câmara acabou agindo para retaliar o governo.

Paulo Teixeira já havia combinado a saída com o Lira, mas a situação foi ficando insustentável. Bolsonaro tinha como projeto destruir o que existia, então ele colocava no Incra pessoas contra a reforma agrária, e o primo do Lira era um dos caras do Bolsonaro que ficou lá porque era próximo ao Arthur Lira. Paulo Teixeira precisava retirá-lo e combinou com Lira que o presidente da Câmara indicaria o substituto, mas Paulo Teixeira foi procurar Lira, e Lira não se encontrou com ele. Paulo Teixeira fez a mudança e Lira saiu retaliando, e umas das retaliações foi colocar esse projeto em pauta para ferrar o governo. Tales Faria

Diante da situação, a avaliação do governo é que Arthur Lira está forte no Congresso, conseguindo até mesmo votos de parlamentares que não são de sua base e, por isso, existe uma articulação para que Lula se encontre com Arthur Lira para tentar salvar a relação entre governo e Câmara.

O governo está avaliando que Lira não está morto e ainda está forte e vai ser preciso uma alternativa para lidar com ele, mas não há bala na agulha para um enfrentamento. Não está na hora de bater de frente com Arthur Lira, então vão ter que repactuar e Rui Costa está fazendo o meio de campo. O governo vai ter um termômetro da situação com Lira na semana que vem porque deve ser fechada a negociação em torno do veto das emendas parlamentares que o governo fez e garante ao governo mais dinheiro para aplicar em projetos e tentar zerar as contas. Até lá estão articulando um encontro de Lula e Lira para repactuar a relação do governo com o Congresso. Lira ainda está forte, a situação é preocupante e só Lula poderá solucionar. Tales Faria

***

Continua após a publicidade

O Análise da Notícia vai ao ar às terças e quartas, às 13h e às 14h30.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja abaixo o programa na íntegra:

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes