PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

PSD negocia comando da CPI da Covid e ameaça relatoria de Renan

Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Chefe da Sucursal de Brasília do UOL

15/04/2021 21h05

O PSD negociou com governo e com a oposição e deverá assumir o comando da CPI da Covid, tirando do senador Renan Calheiros MDB-AL) a possibilidade de se tornar relator.

O PSD tem dois dos onze integrantes da Comissão Parlamentar de Inquériro, Omar Aziz (AM) e Otto Alencar (AM), que tem se aliado ao PT na Bahia. O mesmo número do MDB, com os senadores Renan Calheiros e o amazonense Eduardo Braga, que é o líder do partido.

Com Tasso Jereissati (PSDB-CE), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Humberto Costa (PT-PE), o grupo forma maioria de sete senadores contrários ao governo, contra 4 favoráveis: Jorginho Mello (PL-SC), Marcos Rogério (DEM-RO), Ciro Noguerira (PP-PI) e Eduardo Girão (Podemos-CE).

No entanto, dos sete considerados oposicionista pelo governo, Omar Aziz é aquele que sofre menos resistência no Palácio do Planalto.

O senador amazonense está reivindicando o cargo de presidente da CPI. Seu colega e líder do partido no Senado, Otto Alencar, embora ligado à oposição, já informou aos colegas que não poderá deixar de votar em Aziz para presidir o colegiado. São dois votos. Caso eles se juntem aos quatro governistas do colegiado, formam maioria de seis contra 5 na oposição.

Com isso, o PSD conseguiu negociar com governo e oposição para assumir o comando da CPI. É praticamente certo que Aziz seja o presidente. O MDB, então, deve também apoiar Aziz, desde que ele assuma o compromisso de indicar o líder do partido, Eduardo Braga, como relator. Embora não seja tão refratário ao Planalto como Renan, Braga também é considerado contrário ao governo.

A CPI, então, tende a ficar com Aziz como presidente e Braga como relator. Renan tem dito aos colegas que não reivindica a relatoria. Em aliança com os dois do PSD, mais Tasso Jeiressati, Randolfe Rodrigues e o petista Humberto Costa, ele acha que seu grupo tende a dar o tom do andamento dos trabalhos.

Para o governo, não há muito o que fazer.