Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos

Tribunal investigou, mas não responsabilizou Haddad por rombo no Fies

Arte/UOL
Fernando Haddad foi ministro da Educação no governo Lula Imagem: Arte/UOL

Do UOL, em São Paulo

05/09/2018 18h56

Uma notícia de 2016 sobre uma auditoria do TCU (Tribunal de Contas da União) que teria descoberto um “rombo estimado em R$ 20 bilhões” no Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) ressurgiu nos últimos dias no site “Publica Brasil” e em perfis de redes sociais como prova contra o candidato a vice-presidente Fernando Haddad (PT), que pode assumir a condição de candidato a presidente. O texto falha, entretanto, ao não atualizar os leitores sobre o andamento da investigação. O petista foi inocentado.

O TCU realizou, de fato, uma auditoria nas contas do Fies e intimou oito autoridades ligadas ao PT para prestar depoimento, incluindo Haddad, que foi ministro da Educação no governo Luiz Inácio Lula da Silva. O órgão investigou o caso de 2016 a 2018 e, após ouvir os envolvidos, inocentou os ex-ministros Haddad e Aloízio Mercadante e determinou o arquivamento do processo.

As postagens compartilhadas agora não citam as conclusões das investigações e audiências. Em julho de 2018, por seis votos a dois, o plenário do TCU aceitou os argumentos dos ex-ministros e encerrou o processo. A ministra e relatora Ana Arraes, autora de um dos votos pela absolvição, acolheu as justificativas dos indiciados, que alegaram que o programa foi gerido sem qualquer tipo de ilegalidade.

Os dois votos contrários - dos ministros Augusto Sherman e André Luís de Carvalho - recomendaram uma multa de R$ 50 mil aos investigados, sugestão que não foi aceita pelos demais integrantes do tribunal.

O texto disseminado no Facebook e no Twitter, publicado no último dia 3, é uma cópia de outro feito em 24 de novembro de 2016, na época do início da investigação. Este, por sua vez, usa como fonte uma reportagem do jornal “O Estado de S.Paulo”. Uma postagem no Facebook com o conteúdo enganoso teve mais de 2,2 mil compartilhamentos.

O material foi checado pelo “Jornal do Commercio”, pelos jornais “Gazeta Online” e “Gazeta do Povo”, além do UOL, do “Poder360” e do jornal "O Povo", todos integrantes do projeto Comprova.

O Comprova é um projeto integrado por 24 empresas brasileiras de mídia que investiga e explica rumores, conteúdo forjado e táticas de manipulação associadas às eleições presidenciais do Brasil. Envie sua pergunta ou denúncia de boato falso pelo WhatsApp 11 97795-0022.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber

Mais UOL Confere